Recomeço

Depois de 113 dias ininterruptos de meditação, perdi um dia. Ontem foi o encerramento da Oficina de Mediunidade em São Paulo e saímos do almoço com o time para Jundiaí, de lá voltamos cansados e eu me esqueci. Só percebi agora cedo. Lamento a perda da sequência… por isso…

Em meditação | Dia I

13.09 terça-feira em São Paulo. Recomeça a contagem. Meditando início do dia. Ontem fiquei tão desapontado ao constatar meu furo. Talvez meditar deva ser a primeira coisa a se fazer sempre, antes de nenhuma outra no dia.

Hoje cheguei mais cedo por causa do rodízio e meditei no carro, na porta do estúdio onde gravaremos. Disse:

– Deidei, senti tanta vergonha de você, fiquei tão desapontado por falhar em nosso compromisso…

E quem foi que te disse para sentir vergonha? Eu é que não disse. Meu amor não cria rótulos, meu amor abrange todas as coisas e as ama com a mesma intensidade. Rótulos são uma mania humana, não um hábito divino. Meu amor simplesmente AMA.

Me lembrei de Genesis 1, 25: “E ambos estavam nus, o homem e a sua mulher; e não se envergonhavam.” E Genesis 3, 9-11: “E chamou o Senhor Deus a Adão, e disse-lhe: Onde estás? E ele disse: Ouvi a tua voz soar no jardim, e temi, porque estava nu, e escondi-me. E Deus disse: Quem te mostrou que estavas nu?

Em meditação | Dia II

14.09 meditei durante o Mentoring EXP em São Paulo enquanto o grupo de mentorados realizava um exercício em duplas.

 

 

Publicado por

Juliano Pozati

Strengths coach, Escritor, Espiritualista e empreendedor. Membro do Conselho do The Institute for Exoconsciousness (EUA). Meio hippie, meio bruxo, meio doido. Pai do Lorenzo e fundador do Círculo. Bacharel em Marketing, expert em estratégia militar, licenciando em filosofia. Empreendedor inquieto pela própria natureza. Seu fluxo é a realização!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.