Lei do Carma – O acaso não consta dos desígnios superiores

“Penetramos forçosamente no inferno que criamos para os outros, afim de experimentarmos, por nossa vez, o fogo com que afligimos o próximo. Ninguém ilude a justiça. As reparações podem ser transferidas no tempo, mas são sempre fatais”

“O acaso não consta dos desígnios superiores. Não nos aproximamos uns dos outros sem razão. “

“Estejamos, entretanto, convencidos de que as sementes de luz jamais se perdem”

Xavier, Francisco Cândido / André Luiz. Nos Domínios da Mediunidade. Federação Espírita Brasileira, Brasília, 1955, pp. 74-83.