Os poemas

“Os poemas também são estruturas de forma rígida que brilham para si. Em geral, não comunicam nada. É o excedente, o luxo do significante que os caracteriza. Desfrutamos sobretudo sua perfeição da forma. Nos poemas, a linguagem joga. Por esse motivo, hoje não temos mais lido poemas. Poemas são cerimônias mágicas da linguagem. O princípio poético restitui à linguagem o desfrute, na medida em que quebra radicalmente com a economia da produção de sentido. O poético não produz.”

HAN, Byung-Chul.O desaparecimento dos rituais: Uma topologia do presente. Ed. Vozes, 2021, Local 888.

Império dos Signos

O Sol

O Sol

(…) vimos que outros tratados astrológicos fizeram outras associações. As Astronômicas, texto de astrologia antiga, redescoberto pelos humanistas em 1417. associam Apolo e os “amáveis Gêmeos”.

(…)o sol é tradicionalmente associado à vida, como a lua à morte.

(…) símbolo masculino, pai, divindade que revigora. Vemos que o Sol e a Lua não são elementos astronômicos, mas símbolos plenos: o pai, a mãe, o céu, a terra. Também podem representar estados após a morte: o inferno para a Lua, o paraíso para o Sol.

(…) os desenhos das pequenas “gotas coloridas, encontradas na maioria dos tarôs (na posição correta ou invertida, dependendo dos baralhos), podem simbolizar o maná terrestre: assim era representada nas antigas imagens a substância que Deus fazia cair do céu para nutrir os filhos de Israel no deserto. De modo mais amplo, essas “gotas também designam tudo o que provém do céu para trazer algo ao mundo.

Significados divinatórios

(…) Assim se designavam as felizes influências desse astro.

(…) a verdadeira luz, o ouro filosófico.

Luz, razão, concórdia, influência do Sol.

A luz sempre presente no homem, manifestada na atividade do dia, velada nas meditações noturnas e que lhe permite elevar na clareza e na harmonia suas construções materiais, afetivas ou espirituais.

Irradiação, pois o Sol que lança seus raios no mundo da vitalidade e harmonia.

Superioridade intelectual. Sabedoria nos textos, difusão harmoniosa sobre a massa.

Essa lâmina aplica-se a´penas aos grandes sentimentos.

A saúde, a beleza física.

NADOLNY, Isabelle. História do TarôUm estudo completo sobre suas origens, iconografia e simbolismo. Ed. Pensamento, 2022, pág. 259-261.

Brilhava como uma estrela

“Brilhava como uma estrela fulgente na escuridão da noite e como a aurora que se estende sobre as trevas. Dessa maneira, dentro de pouco tempo, tinha sido completamente mudada a aparência da região, que parecia por toda parte mais alegre, livre da antiga fealdade.”

Frei Tomás de Celano. Primeira Vida: Vida de São Francisco de Assis Escrita em 1228 D.C, Ed. Família Católica,2018, Local: 601.

PRIMEIRO LIVRO

Capítulo 15- Fama de São Francisco

A poesia eleva todo indivíduo

A poesia eleva todo indivíduo por meio de uma conexão própria com o todo restante […], a poesia constitui a bela sociedade – família mundial – a bela família [Haushaltung] do universo. […] O indivíduo vive no todo e o todo no indivíduo. Por meio da poesia surge a simpatia e a coatividade supremas, a mais íntima comunidade.”

Visa-se a uma comunidade dos seres vivos. O indivíduo é um “órgão do todo”. O todo é um “órgão do indivíduo”. O indivíduo e o todo se interpenetram. Novalis está convencido de que a separação e o isolamento levam, em última instância, ao adoecimento dos seres humanos. A poesia é uma arte da cura, uma “grande arte da construção da saúde transcendental”. Assim, Novalis eleva os poetas à condição de “médico transcendental.

“O mundo tem de ser romantizado. Assim é possível reencontrar o sentido originário. […] Quando dou um sentido elevado ao comum, uma aparência misteriosa ao habitual, a dignidade do desconhecido ao conhecido, um brilho infinito ao finito, então eu romantizo o mundo”

HAN, Byung-Chul. Vita Contemplativa, ou sobre a inatividade. Ed. Vozes, 2023, Local 1681-1690.

A sociedade que vem