Luna mia, Luna bella!

“Como gostaria de ser como vós, ó fadas!” Disse o jovem, “livre de preocupações, sem necessidade de alimento. Mas o que sois vós?”

“Somos raios de luar, as crianças de Diana,” disse uma delas, “Somos as filhas da Lua. Nascemos da luz brilhante; quando a Lua lança um raio, este então toma a forma de uma fada.”

“E tu és um de nós, pois nasceste quando a Lua, nossa mãe Diana, estava cheia; sim, nosso irmão, nosso parente, pertences a nosso bando.”

“E quando estiveres com fome ou em miséria … e não houver dinheiro em teu bolso, então pense na Lua, em Diana, de quem nasceste; e repita estas palavras:

VERSÃO TRADUZIDA

“Lua minha, Bela Lua! Mais que qualquer estrela; És sempre bela! Dá-me a boa fortuna!”

VERSÃO ORIGINAL

“Luna mia, bella Luna! Più di una altra stella; Tu sei sempre bella! Portatemi la buona fortuna!”

E então, se tiveres dinheiro em teu bolso, este será duas vezes multiplicado. Pois as crianças nascidas em noite de lua cheia são filhos e filhas da Lua, especialmente quando é domingo e a maré está alta:

“Alta marea, luna piena, sai, grande uomo sicuro tu sarei.”

“Maré alta, lua cheia, grande homens serás.”

Então o jovem, que tinha somente um paolo (cinco centavos romanos) em seu bolso, tocou-o e disse:

VERSÃO TRADUZIDA

“Lua minha, Bela Lua, Minha sempre bela Lua!”

VERSÃO ORIGINAL

Luna mia, bella Luna, Mia sempre bella Luna!”

E o jovem, desejando fazer dinheiro, comprou e vendeu, fazendo assim o dinheiro dobrar a cada mês.

Tendo o tempo passado, num certo dia ele não vendeu nada, e assim, nada fez. Então uma noite ele disse para a Lua:

VERSÃO TRADUZIDA

“Lua minha, Bela Lua! Que amo mais que qualquer outra estrela! Diga-me a que fui fadado Para que nada eu tenho ganhado?”

VERSÃO ORIGINAL

“Luna mia, Luna bella! Che io amo più di altra stella! Dimmi perche e fatato Che io gnente (niente) ho guadagnato?”

Então apareceu um pequeno e brilhante elfo, que disse:

“Não deves esperar Mais do que ajuda, Quando bem trabalhas. Não darei mais dinheiro, Somente ajuda, meu caro.”

“Tu non devi aspettare Altro che l’aiutare, Quando fai ben lavorare. Io non daro mai denaro Ma l’aiuto, mio caro!”

O jovem assim descobriu que a Lua, como Deus e as Fortunas, fazem o máximo por aqueles que fazem o máximo por si mesmos.

LELAND, Charles G. Aradia.O Evangelho das Bruxas, 2019, Pág. 160-162.

Dançando sob a luz da Lua Cheia

“Havia certa feita um pobre garoto, sem pai nem mãe, mas que era muito bondoso.

Certa noite, ele estava sentado num local solitário, mas de grande beleza, e lá avistou mil pequenas fadas, de brilho cândido, dançando sob a luz da Lua Cheia.”

LELAND, Charles G. Aradia.O Evangelho das Bruxas, 2019, Pág. 159.