Expulsos do Éden

“A mente pura da criança está naturalmente centralizada no paraíso, no elevado estado de consciência do olho espiritual; porém, com o despertar do instinto sexual e com os fortes apelos dos sentidos por gratificação, a mente é expulsa das potencialidades superiores do paraíso e descende ao estado de identificação com os sentidos materiais, que permanecem absortos no mundo físico. Como resultado, “Adão e Eva” (a razão e o sentimento) são expulsos do Éden a cada nova geração de crianças que cai na armadilha da ilusão.

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. II. Editora Self, 2017, pág. 381.

Capítulo 47: O humilde servidor de todos é “o maior no Reino dos Céus”.

Pescadores de Homens

“Os sábios consideram este mundo um oceano de ilusão onde os peixes humanos são constantemente acossados pelos tubarões dos sentidos. (…)  Deus quer que os verdadeiros pescadores de homens aprendam a arte de lançar a rede de seu magnetismo espiritual para capturar as almas presas pelo erro, trazendo-as a Ele. Aqueles que são conduzidos com sabedoria à presença de Deus estão sempre protegidos nas águas límpidas da imortalidade.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 425.

Capítulo 23: Pescadores de Homens.

Realizar a Vontade e Sua Obra

O meu alimento é fazer a vontade Daquele que me enviou, e realizar a Sua obra“. A mente de Jesus se encontrava num estado elevado, sintonizada com o poder divino da Consciência Crística que havia preenchido e nutrido seu próprio corpo enquanto ele curava a mulher de Samaria. Em tais ocasiões, a Saciedade Divina em um mestre se ri da “necessidade” ilusória de suprir o corpo com a insipida densidade do sustento material.

(…)

Entretanto, mesmo uma observação superficial daqueles que possuem essas coisas dissipa sua ilusória suficiência. A fartura material atrai as pestes infestadoras da preocupação, da inquietude, do tédio, da insatisfação psicológica e espiritual. 

A busca da sintonia com a vontade de Deus, na meditação profunda, nos torna possível estar no mundo sem ser do mundo.

(…)

A alegre cooperação com a vontade de Deus é o segredo de uma existência dinâmica, que recarrega corpo e mente com vitalidade divina.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 350-352.

Capítulo 19: “Meu alimenteo é fazer a vontade Daquele que me enviou”, A Mulher de Samaria, parte III.

Expandir em Amor e Serviço

Aquele que se desvincula da felicidade e do bem-estar dos outros já se condenou ao isolar-se do Espírito que permeia todas as almas, pois quem não se expande em amor e serviço ao Deus presente nos outros desconsidera o poder redentor da conexão com a universalidade de Cristo. Todo ser humano recebeu o poder de fazer o bem; se ele deixa de utilizar tal atributo, seu nível de evolução espiritual não é muito superior ao egoísmo instintivo do animal.

(…) Expandir continuamente o círculo do amor significa sintonizar a consciência humana com o Filho unigênito.

Nota: “Um ser humano é parte de um todo, por nós denominado ‘o Universo’, uma parte limitada no tempo e no espaço. Ele percebe a si próprio, seus pensamentos e sentimentos, como algo separado do restante – uma espécie de ilusão óptica de sua consciência. Essa ilusão é como uma prisão para nós, restringindo-nos a nossos desejos pessoais e à afeição por algumas poucas pessoas que nos são mais próximas. Nossa tarefa deve ser a de libertar-nos dessa prisão, ampliando nosso círculo de compaixão para abranger todas as criaturas vivas e a totalidade da natureza em sua beleza.” Albert Einstein

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 301.

Capítulo 13: O segundo nascimento do homem: o nascimento no Espírito – Diálogo com Nicodemos, parte I.

Substância Infinita

É a ilusão cósmica que transmite a ideia de substâncias e objetos fixos e diferenciados, com propriedades definidas e imutáveis. A força criadora universal, ou maya, evoca aparentes limitações no Ilimitado; ela faz com que a Substância Infinita, desprovida de vibrações, se apresente como coisa finita por meio da vibração, movimento e pro cesso de mudança. Em última análise, nada neste universo é finito, exceto os vários estágios de mudança por que passa a materialidade.

As ondas no oceano são finitas porque surgem temporariamente e então se dissipam – de novo temporariamente, até que surjam outra vez. Quando o oceano forma ondas, e as ondas desaparecem no seio do oceano, alguém consideraria que a água das ondas se perdeu? Não. Ela retornou à sua origem. O que desapareceu foi somente aquela específica forma ondulada que a água havia assumido.

(…)

O mesmo acontece com toda a matéria: vórtices de partículas e energias em metamorfose se unem e separam numa incessante dança vibratória de transformações, produzindo por algum tempo substân cias e objetos que têm a aparência de ser finitos, de estar separados de outros objetos, de ter princípio e fim. Entretanto, toda a matéria em sua essência subjacente é ilimitada e imutável: suas fases mutáveis são transitórias, mas o Poder que vibra em tais mudanças é permanente.

O pensamento é consciência humana em vibração. A consciência humana é uma porção delimitada da Consciência Divina em estado de vibração. No processo do pensamento, a consciência humana vibra.

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 245-246.

Capítulo 11: Água em vinho: “Jesus principiou assim os seus sinais (…)”

Aparência Enganadora da Matéria

“A Força Cósmica Inteligente, que se afastou de Deus, lança seu holofote de luminosidade vibratória sobre a matéria para exaltá-la e cativar o homem com sua falsa glória cintilante.

Utilizar o holofote espiritual da atenção da alma para cultuar a aparência enganadora da matéria mutável que pode nos trazer so mente satisfações fugazes é deixar-se hipnotizar pelos encantos do reino sensório finito de Satã.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 197.

Capítulo 8: A Tentação de Jesus no deserto.

O Prana

“A energia vital inteligente do corpo é o prana, vitátrons derivando das funções doadoras de vida do corpo astral. A diferença entre as formas materialmente ativas de energia (eletricidade, luz, calor, magnetismo) e a energia vital (prana) é que as primeiras são meramente forças mecânicas, ao passo que a última, sendo vitatrônica, possui uma inteligência divina inerente.

(…)

Não é pecado viver segundo o padrão evolutivo da ingestão de alimentos; mas acreditar somente nos meios materiais para o sustento da vida é uma ilusão.

(…)

Deus condensou engenhosamente Sua consciência em vitátrons, os vitátrons em elétrons e prótons, estas partículas subatômicas em átomos, e os átomos em moléculas e células – todos vivendo das radiações provenientes da Fonte Cósmica. Um ator numa tela de cinema parece muito real; mas ele não passa de radiação dividida em luzes e sombras emanando da cabine de projeção. O homem deve perceber a natureza etérea de seu ser – é composto de luz e consciência, é divino e indestrutível, sendo projetado na tela do tempo e do espaço pelo Feixe Cósmico criador de Deus.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 181-182.

Capítulo 8: A Tentação de Jesus no deserto.

Os Filhos de Deus São Imortais

Como almas, centelhas individualizadas do Espírito ilimitado, os filhos de Deus são imortais, livres de qualquer dependência material. Deus planejou as células das flores, das plantas, dos animais e dos seres humanos para que vivessem recarregadas pela Energia Cósmica – e não se alimentando cruelmente umas das outras. Somente quando a alma se identifica com o corpo humano profanado por Satã é que o homem sente a fome característica da dependência de suprimentos da natureza. A Força Ilusória Cósmica levou o homem consciente de seu corpo a acreditar que sem o sustento físico sua existência se extinguiria. Ao voltar-se para os produtos da terra para sua nutrição (alento e alimento), o homem permanece preso a ela e esquece sua verdadeira natureza, que vive exclusivamente da Energia Cósmica e da vontade de Deus.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 178.

Capítulo 8: A Tentação de Jesus no deserto.

Tentações de Jesus

O Espírito Divino havia conduzido Jesus ao silêncio do deserto para que fosse testado, a fim de constatar se a sua Consciência Crística poderia ser preservada apesar da influência ilusória de todas as lembranças mortais.

Um super-homem, embora estabelecido num elevado estado de consciência por meio da meditação profunda, ficará sujeito às tentações da Ilusão Cósmica enquanto habitar o reino de maya.

(…)

Um Jesus que fosse um filho de Deus pré-fabricado e importado do céu, já perfeito e completo, não teria tentações a superar. As maquinações de Satã e a vitória de Jesus seriam, então, apenas um teatro divino. Como poderia tal realização tornar-se um ideal humano? Um ser espiritual manufaturado por Deus não teria o mérito de ser aquilo que deveríamos nos tornar por meio de nosso próprio esforço e, com isso, não serviria de exemplo para os seres humanos que ainda se debatem, crivados de tentações.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 175-176.

Capítulo 8: A Tentação de Jesus no deserto.

Inquietação Mental

“O reflexo da lua em um vaso de água agitada parece distorcido; mas a lua nunca se distorce — é a água agitada que produz a ilusão.”

(…)

“A imagem perfeita de Deus dentro de você é distorcida por sua inquietação mental e falta de convicção.”

YOGANANDA, Paramahansa. Como Despertar Seu Verdadeiro Potencial. Ed. Pensamento. Versão Kindle, 2019, Posição 642-643.