Desenvolvimento da Intuição

“Como almas individualizadas, o Espírito manifesta progressiva mente Seu poder de conhecimento ao longo dos sucessivos estágios de evolução: como resposta inconsciente nos minerais, como sensibilidade na vida vegetal, como conhecimento sensitivo guiado pelo instinto nos animais, como intelecto, razão e intuição introspectiva não desenvolvida no homem, e como intuição pura no super-homem.

(…)

Assim como o instinto confina o animal dentro de limites estabelecidos, também a razão restringe o ser humano que não tenta se tornar um super-homem pelo desenvolvimento da intuição.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 271.

Capítulo 13: O segundo nascimento do homem: o nascimento no Espírito – Diálogo com Nicodemos, parte I.

Os Saduceus

1. Saduceus – O grupo dos saduceus é formado pelos grandes proprietários de terras (anciãos) e pelos membros da elite sacerdotal. Têm o poder na mão, e controlam a administração da justiça no Tribunal Supremo (Sinédrio). Embora não se relacionem diretamente com o povo, são intransigentes em relação a ele, e vivem preocupados com a ordem pública. São os principais responsáveis pela morte de Jesus. Os saduceus são os maiores colaboradores do império romano, e tendem para uma política de conciliação, com medo de perder seus cargos e
privilégios. No que se refere à religião, são conservadores: aceitam apenas a lei escrita e rejeitam as novas concepções defendidas pelos doutores da Lei e fariseus (crença nos anjos, demônios, messianismo, ressurreição).”

Bíblia Sagrada. Edição Pastoral. Paulus Editora, 1990. Versão Kindle, Posição 56394.

Poder Político

II. Política –O poder efetivo sobre a Palestina está nas mãos dos romanos. Mas, em geral, estes respeitam a autonomia interna das suas colônias. A Judeia e a Samaria são dirigidas por um procurador romano, mas o sumo sacerdote tem poder de gerir as questões internas, através da lei judaica. Este, porém, é nomeado e destituído pelo procurador romano. O centro do poder político interno da Judeia e Samaria são a cidade de Jerusalém e o Templo. Com efeito, é do Templo que o sumo sacerdote governa, assessorado por um Sinédrio de 71 membros, composto de sacerdotes, anciãos e escribas ou doutores da Lei. O Sinédrio é o Tribunal Supremo (criminal, político e religioso) e sua influência se estende sobre todos os judeus, mesmo os que vivem fora da Palestina.”

Bíblia Sagrada. Edição Pastoral. Paulus Editora, 1990. Versão Kindle, Posição 56380.

Compreesão da Trindade

“Na seqüência o texto diz que deste Espírito invisível surgiram três poderes, o Pai, a Mãe e o Filho e que eles vieram do silêncio, do silêncio do Pai desconhecido. É muito interessante e curioso a forma como grupos diferentes compreendiam e explicavam a Trindade.”

Nascimento, Peterson do. Evangelho Copta dos Egípcios (Coleção Apócrifos do
Cristianismo Livro XVI) – Versão Kindle, Posição 492.

Três Poderes

“(…) todos louvando com uma única voz, com um acordo, com uma voz que não silencia nunca, dando glórias ao Pai, e à Mãe, e ao Filho, os três poderes que emanaram do Espírito invisível (…)

Nascimento, Peterson do. Evangelho Copta dos Egípcios (Coleção Apócrifos do
Cristianismo Livro XVI) – Versão Kindle, Posição 190.

O Santo, o Princípio e o Fim

“O Santo, o princípio e o fim, o incorruptível são tronos e majestades, são poderes e glórias e incorrupções são os Aeons eternos. Eles surgiram do grande e inominável, virginal, Espírito invisível.”

Nascimento, Peterson do. Evangelho Copta dos Egípcios (Coleção Apócrifos do
Cristianismo Livro XVI) – Versão Kindle, Posição 167.

Consolidação do Papado

“(…) o imperador Focas favorece a criação do papado, no ano de 607. A decisão imperial faculta aos bispos de Roma prerrogativas e direitos até então jamais justificados. Entronizam-se, mais uma vez, o orgulho e a ambição da
cidade dos césares. Em 610, Focas é chamado ao mundo dos invisíveis, deixando no orbe a consolidação do papado. Dessa data em diante, ia começar um período de 1.260 anos de amarguras e violências para a civilização que se fundava.”

Xavier, Francisco Cândido / Emmanuel. A Caminho da Luz. Federação Espírita Brasileira, Brasília, 2016, p. 126.

Poderes de Jesus em Sua Infância

“(…) já em sua infância Jesus possuía grandes poderes, similares àqueles que ele havia manifestado em sua encarnação prévia como Eliseu, pressagiando os milagres do seu ministério de adulto, que demonstraram comando sobre a vida e a morte e sobre as leis naturais que não cedem em sua fixidez exceto por um comando divino.

(…)

À medida que o menino sai da infância, ele inicia o exercício mais consciente de seus poderes concedidos por Deus.

(…)

Vida e morte, matéria animada e inanimada, tudo era visto pelo menino Jesus como vibrações manipuláveis da consciência de Deus. Relata-se que ele moldou pardais a partir da lama retirada de poços depois de uma tempestade; e quando repreendido por ter praticado tal ação no sábado, ele deu vida aos pássaros e ordenou-lhes que voassem.

(…)

“Se um homem desconsidera o aviso de não tocar um fio desencapado e é com isso eletrocutado, não é o fio desencapado, mas a insensatez do homem, o responsável por sua morte. A mesma verdade se aplica ao caso das crianças perversas que zombaram de Eliseu. Trata-se da história de toda oposição maléfica à vontade justa de Deus: o mal causa, por fim, sua própria destruição.” God Talks With Arjuna: The Bhagavad Gita.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 79-81.

Capítulo 4: A infância e a juventude de Jesus.

Inteligência da Consciência Crística

Nestes versículos, “mão” simboliza poder de operação e autoridade; “mão direita” simboliza o principal poder de operação, a Inteligência refletida de Deus que atua na criação. Portanto, “a mão direita do poder de Deus” refere-se à Consciência Crística que emana de Deus e é a principal inteligência operativa que energiza e ativa toda a criação por meio da Vibração Cósmica criadora.

A resposta de Jesus não significava que no futuro os habitantes do mundo tanto os ignorantes como os sábios – o contemplariam “vindo sobre as nuvens do céu“. Deus, que move os universos no espaço, não necessita impressionar a população da Terra subjugando-a com semelhante demonstração.

(…)

Ao responder desse modo ao sumo sacerdote, Jesus na realidade enviava uma mensagem aos buscadores espirituais de todos os tempos. Qualquer devoto sincero que abra o olho espiritual poderá não apenas ter uma visão de Jesus, mas também conhecer a Consciência Crística nele presente como o poder da “mão direita” de Deus. Assim como o proprietário de uma fábrica conta com uma pessoa que é sua “mão direita”, também o Proprietário do universo a Consciência Cósmica transcendente – tem como Sua “mão direita” a Consciência Crística onipresente na criação. Essa Inteligência Crística é o canal imanente do Deus-Pai da criação, o único meio através do qual o poder da Consciência Cósmica Se materializou na criação, ou seja, Deus refletido como Consciência Crística, como a Essência de tudo o que existe.

(…) assim como as nuvens da atmosfera terrestre que se vê com os olhos abertos escondem as regiões que se encontram além delas, também a escuridão dos olhos fechados e as obscuras profundezas do céu que se vê com os olhos abertos atuam como muros que escondem a luminosa região do céu astral, oculta por trás da muralha vibratória do éter – transparente ainda que opaca. As visões autênticas podem ser contempladas com os olhos abertos ou fechados. Todo devoto espiritual altamente adiantado que possa ver através de seu olho espiritual telescópico comprova que as nuvens da escuridão dos olhos fechados e o firmamento etéreo que obstrui a percepção dos olhos abertos se desvanecem no nada de sua natureza ilusória. Quando o devoto, com o auxílio do olho espiritual, dissipa assim a escuridão interior dos olhos fechados e a opacidade exterior do firmamento, o cosmo astral celestial aparece, revelando os anjos de Deus e muitas maravilhas luminosas.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. III. Editora Self, 2017, pág. 378-379.

Capítulo 73: A agonia de Jesus no jardim de Getsêmani e sua prisão.

A Força Poderosa do Louvor

“Jesus assinalou que o louvor alcança a perfeição e se converte em força poderosa quando é uma genuína resposta à verdade. A mente e as palavras das crianças puras que ainda não foram maculadas com a política, a insinceridade, a tendência à manipulação e as falsidades – são receptivas à verdade e a reconhecem graças à maior clareza de uma inata intuição que não está distorcida por racionalizações preconceituosas.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. III. Editora Self, 2017, pág. 169.

Capítulo 64 : A entrada triunfal em Jerusalém.