Nada tendo, tudo possuímos

“(…) como esta obscura noite mantém as suas potências e afeições impedidas, não pode levantar o afeto e a mente para Deus, nem consegue rezar; parece-lhe que o Senhor pôs uma nuvem diante dela a fim de não chegar a Ele a sua oração, como diz de si Jeremias.

Na verdade, não é este o tempo propício de falar com Deus, e sim de “pôr a boca no pó”, como diz Jeremias (Id. 29), esperando que “porventura lhe venha algum motivo de esperança”, e sofrendo com paciência a sua purificação. É o próprio Deus que está agora fazendo sua obra passivamente na alma; por isto, ela nada pode por então. Nem ao menos rezar ou assistir atentamente aos exercícios divinos lhe é possível, nem tão pouco tratar de coisas ou negócios temporais.

“Nada tendo, tudo possuímos” (2 Cor 6, 10).”

CRUZ, São João da. A noite escura da Alma. Editora Família Católica, 2018, versão Kindle, Posição: 1442-1499.