Conjuração do trigo ou do pão

“A conjuração do trigo ou do pão, o qual representa literalmente nosso corpo, além de contribuir para a formação do mesmo, e que é ainda profundamente sagrado por ter surgido da terra, onde se ocultam segredos ocultos e maravilhosos, lança aparentemente uma nova luz sobre o sacramento cristão. É uma espécie de ressurreição da terra, e foi assim utilizada nos Mistérios e na Santa Ceia, enquanto que o grão pertencia aos segredos ctônicos, ou àquilo que jazia em escuridão sob a terra. Assim, até mesmo as minhocas são invocadas pela bruxaria moderna como familiares dos mistérios obscuros, e a gaita do pastor, usada na obtenção do poder órfico, deve permanecer por três dias enterrada. Sendo assim, tudo na bruxaria era, e ainda é, uma espécie de poesia selvagem baseada em símbolos, que se fundem uma à outra, luz e treva, vagalumes e grãos, vida e morte.”

LELAND, Charles G. Aradia.O Evangelho das Bruxas, 2019, Pág. 146.

O Exorcismo do Trigo

O Exorcismo do Trigo

“Eu lhe exorcizo, ó farinha!
Vós que sois o nosso corpo, Sem ti nós não poderíamos viver,
Tu que antes de ser farinha
Viveu na terra, onde todos os
segredos se ocultam, E depois de moído, dançaste ao
vento,
Tu danças pelo ar e voa Carregando em si os teus segredos!”

LELAND, Charles G. Aradia.O Evangelho das Bruxas, 2019, Pág. 38.