Tempestades de Luz e Conhecimento

Do mais alto céu, as nuvens precipitam-se em abençoadas gotas de esperança que prometem trazer vida nova ao solo ressequido que guarda em seu ventre as sementes da regeneração.

Assim é, pois, o potencial humano que acolhe as tempestades de luz e conhecimento típicas deste tempo.

Sede pois, aquilo que já o são, no mundo espiritual. Que a realidade espaço temporal não faça desvanecer em sua consciência a certeza de quem verdadeiramente são e podem ser.

Com meu beijo amigo ao coração,

Olivia

Light, love and liberation

Enlighted by the knowledge of the truth the human being becomes an extraordinary lighthouse. Around him, the other forms of life find a secure way to envolve and develop, on the eternal path of evolution.

Find your self satisfacted and happy for the work you all channeled in to your reality this week. There is a massive movement of light, love and liberation happening in several places around the world. Go forward, always..

William

(…)

Iluminado pelo conhecimento da verdade, o ser humano se torna um farol extraordinário. Ao seu redor, as demais formas de vida encontram um caminho seguro para evoluir e se desenvolver, no eterno caminho da evolução.

Fique satisfeito e feliz pelo trabalho que todos vocês canalizaram para a sua realidade esta semana. Há um movimento massivo de luz, amor e liberação acontecendo em vários lugares ao redor do mundo. Vá em frente, sempre ..

William

Sentir é viver, amar é seguir

Meu amadinho,

Cada lágrima derramada em sincero desejo de bem e amor é verdadeira torrente represada e liberada nas hidrelétricas do potencial espiritual de cada um.

Sentir é viver; amar é seguir e evoluir, sempre em frente! Os desafios da vida são apenas comportas que afunilam o fluxo das águas mas revelam seu verdadeiro potencial gerador de energia e movimento.

É da dinâmica da água e da vida seguir fluindo, se adaptando e potenciando sua jornada para o oceano que é puro movimento. A plenitude do movimento é a onipresença do nosso Pai, que está em todas as coisas.

Buon Journeé, meu querido neto! Hoje é o primeiro dia de aula de tantas aulas que ainda virão. Lustra os bancos com amor, vivendo e aplicando tudo o que aprender. Honra o conhecimento com o movimento, honra o momento com a transformação.

Com amor sempre,

Olívia

Não saber é saber

“Pois somente conhecemos verdadeiramente a Deus”, escreve São Tomás de Aquino, “quando acreditamos que ele se acha além de tudo o que o homem possivelmente seja capaz de pensar de Deus”. No Kena Upanishad, neste mesmo espírito: “saber e não saber não saber é saber”.

Campbell, Joseph. O herói de mil faces. Pensamento, São Paulo, 2007, p. 230.

A virtude do mestre

A liberdade de ir e vir pela linha que divide os mundos, de passar da perspectiva da aparição do tempo para a perspectiva do profundo causal e vice-versa – que não contamina os princípios de uma com os da outra e, no entanto, permite a mente o conhecimento de uma delas em virtude do conhecimento da outra – é o talento do mestre.

Campbell, Joseph. O herói de mil faces. Pensamento, São Paulo, 2007, p. 225.

Círculo como totalidade e queda do paraíso

A correspondência de um ano no paraíso com cem anos na existência terrena é um motivo mitológico bem conhecido. A duração de cem anos significa a totalidade. Os trezentos e sessenta graus da circunferência tem o mesmo significado; razão por que Puranas hindus representam um ano dos deuses como equivalente a trezentos e sessenta anos dos homens. Do ponto de vista dos olímpicos, era após era da história terrestre transcorre, de modo que, onde os homens vêem apenas a mudança e a morte, os bem-aventurados contemplam a forma imutável, o mundo sem fim. Mas o problema reside em manter esse ponto de vista diante de uma dor ou prazer terrenos imediatos. O sabor dos frutos do conhecimento temporal afasta concentração do espírito do centro da era para a crise periférica do momento. O equilíbrio da perfeição é perdido, o espírito fraqueja e o herói cai.

Campbell, Joseph. O herói de mil faces. Pensamento, São Paulo, 2007, pp. 218-219.

Nobre Caminho Óctuplo

(…) ou Quarta Nobre Verdade do budismo:

“Crença Correta, Intenções Corretas, Palavra Correta, Ações Corretas, Meio de Vida Correto, Esforço Correto, Pensamento Correto, Correta Compreensão”.

Com a “extirpação final da ilusão, do desejo e da hostilidade” (Nirvana), a mente sabe que não é aquilo que pensa ser: o pensamento flui. A mente permanece em seu verdadeiro estado. E aí pode e aí pode ela habitar até que o corpo desapareça:

“Estrelas, escuridão, lâmpada, fantasma, orvalho, bolha. Um sonho, um relâmpago, e uma nuvem: Assim devemos olhar tudo o que foi feito”.

O Bodisatva, todavia, não abandona a vida. Voltando os olhos da esfera interna da verdade que transcende o pensamento (que só pode ser descrita como “vazio”, já que ultrapassa a palavra) para observar mais uma vez o mundo fenomênico, ele percebe, fora de si, o mesmo oceano de existência que encontrou no seu íntimo. “A forma é o vazio, o vazio é de fato forma. O vazio não difere da forma, a forma não difere do vazio. O que for forma é também o vazio, o que for vazio, é também a forma. E o mesmo se aplica à percepção, ao nome, à concepção e ao conhecimento”.

Campbell, Joseph. O herói de mil faces. Pensamento, São Paulo, 2007, p. 156.

Deusa Mulher

Tal como a mudança, o rio do tempo, a fluidez da vida, a deusa cria, preserva e destrói à um só tempo. (…)  A mulher representa, na linguagem pictórica da mitologia, a totalidade do que pode ser conhecido. O herói é aquele que aprende.

Campbell, Joseph. O herói de mil faces. Pensamento, São Paulo, 2007, pp. 116-117