Padrões e Ação

“O que quer que faça um ser superior, as pessoas inferiores imitam”, diz o Bhagavad Gita. “As ações dele estabelecem um padrão para a gente do mundo.”

(…)

“O êxito é obtido por meio da contínua regularidade da ação.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol II. Editora Self, 2017, pág. 193-195.

Capítulo 39: “Nenhum profeta é bem recebido na sua pátria”

O Futuro Pertence ao Espírito!

“Os laboratórios são templos em que a inteligência é concitada ao serviço de Deus, e, ainda mesmo quando a cerebração se perverte, transitoriamente subornada pela hegemonia política, geradora de guerras, o progresso da ciência, como conquista divina, permanece na exaltação do bem, rumo ao glorioso por vir. “

“O futuro pertence ao espírito!”

Prefácio de Emmanuel. Xavier, Francisco Cândido / André Luiz. Nos Domínios da Mediunidade. Federação Espírita Brasileira, Brasília, 1955, pp. 7-10.

Do Potencial Latente ao Fluxo da Realização

Comunicar as elevadas expressões da existência humana às pessoas, reconectando o potencial latente ao fluxo da realização, é sem dúvidas, um desafio de proporções multidimensionais, haja vista que a humanidade terrestre ainda jaz, inerte, em distrações incoerentes que só fazem atrasar a marcha do progresso existencial.

Sustenta tua fé pela força interior que te habita, e segue um passo por vez, um passo de cada vez. Sempre mais, sempre disposto, sempre avanti.

As recompensas da jornada são conquistadas à cada novo passo. Caminhar é em si a grande riqueza do movimento. Movimento é vida, liberdade, e expressão do amor daquele que é Pai sem igual.

Lavora na vida, da semeadura ao fruto, da poda à sombra fresca, e vê que em tudo está o amor do Pai de Todas as Coisas.

Da turma de cá.

O Prazer e o Sabor de Redescobrir o Simples

Nós, como seres humanos complicados, gostamos de complicar tudo.

Parece um talento de nossa espécie projetar em nossas relações, sejam elas consigo mesmo, com o outro, com o meio ou com o mundo externo, uma carga pessoal de medos e armadilhas de nossa psiquê, de tal sorte que tudo reflete a complicada mente do homem.

Sorrir é simples, gargalhar é descomplicado.

A natureza, livre das tragédias psíquicas típicas do ser humano, flui com leveza.

Simplificar é a palavra de ordem. Manter simples, o caminho para conquista dos novos patamares que os aguardam.

Meu abraço apertado,

General

O Encontro Com a Deusa

“O encontro com a deusa (que está encarnada em toda mulher) é o teste final do talento de que o herói é dotado para obter a benção do amor (caridade: amor fati), que é a própria vida, aproveitada como o invólucro da eternidade”.

Campbell, Joseph. O herói de mil faces. Pensamento, São Paulo, 2007, p. 119.

A Jornada do Herói (etapas)

I grande estágio
Separação ou Partida

    1. O chamado da aventura, ou os indícios da vocação do herói;
    2. A recusa do chamado, ou a temeridade de se fugir de Deus;
    3. O auxílio sobrenatural, a assistência insuspeitada de vem ao encontro daquele que leva a efeito sua aventura adequada;
    4. A passagem pelo primeiro limiar;
    5. O ventre da baleia, ou a passagem para o reino da noite.

II grande estágio
Provas e Vitórias da Iniciação

    1. O caminho de provas, ou o aspecto perigoso dos deuses;
    2. O encontro com a deusa (Magna Mater), ou a benção da infância recuperada;
    3. A mulher como tentação, a realização e agonia do destino de Édipo;
    4. A sintonia com o pai;
    5. A apoteose;
    6. A bênção última;

III grande estágio
Retorno e reintegração à Sociedade

    1. A recusa do retorno, ou o mundo negado;
    2. A fuga mágica, ou a fuga de Prometeu;
    3. O resgate com ajuda externa;
    4. A passagem pelo limiar do retorno, ou o retorno ao mundo cotidiano;
    5. Senhor dos dois mundos;
    6. Liberdade para viver, a natureza e função da benção última.

Campbell, Joseph. O herói de mil faces. Pensamento, São Paulo, 2007, pp. 40-41

Casca da Virtude

“Pois o trabalho da Nêmesis – caso não nos regeneremos – se realiza por meio das próprias vitórias que obtemos: a maldição irrompe da casca de nossa própria virtude”.

Campbell, Joseph. O herói de mil faces. Pensamento, São Paulo, 2007, p. 26.