Adorar a Deus no Templo de Si Mesmo

“O “próximo” do homem é a manifestação de seu Eu maior ou Deus. A alma é um reflexo do Espírito, reflexo que está em cada ser e na vida vibratória de todo o cenário cósmico animado e inanimado.

(…)

Quando a imanência divina penetra a compreensão do homem, ela o desperta para seu dever e privilégio de adorar a Deus no templo de si mesmo (por meio da meditação) e no templo de todos os seres e coisas do universo (por meio do amor ao próximo, na intimidade de seu lar cósmico).

(…) e a ideia de “mundo” é em si um conceito muito remoto e abstrato.

A maioria das pessoas vive entre as estreitas muralhas do egoísmo, jamais sentindo o pulsar da vida universal de Deus.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol II. Editora Self, 2017, pág. 507-508.

Capítulo 53: A observância dos dois maiores mandamentos.

Anseio pela Divindade

“Ele falava da divina melancolia resultante do despertar da consciência de que se está separado de Deus, o que cria na alma um insaciável anseio por unir-se novamente ao Amado Eterno.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 482.

Capítulo 26: As Beatitudes. O Sermão da Montanha, Parte I.

Sabedoria e Paz da Alma

“Jesus queria que seus discípulos estabelecessem um exemplo diferente, a fim de demonstrar aos seres humanos habitualmente beligerantes que o poderio da invencível sabedoria e paz da alma desperta pela meditação é mais forte do que as mais potentes forças do mal.”

(…)

“Quando pois vos conduzirem para vos entregarem, não estejais solícitos de antemão pelo que haveis de dizer; mas, o que vos for dado naquela hora, isso falai; porque não sois vós os que falais, mas o Espírito Santo” (Marcos 13:11).”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol II. Editora Self, 2017, pág. 240-241.

Capítulo 41: Conselhos de Jesus aos que pregan a palavra de Deus (Parte II).

Astralocutadas

“Aqueles que cultivaram muitas virtudes desfrutam o resultado de seu bom karma em planetas celestiais do plano astral onde não existem as limitações da vida na Terra. A maioria das almas- que não são categoricamente boas nem más -, depois de dormirem o pacífico sono inconsciente da morte com experiências ocasionais de vigília astral, despertam no ventre de sua nova mãe terrena.

Apenas as almas que, por meio da meditação, são capazes de con trolar as funções da energia vital do coração e da respiração, permanecendo absorvidas no constante êxtase da consciência divina durante sua vida terrena, podem continuar ininterruptamente conscientes durante a transição da morte e também no mundo astral.

(…)

Os peixes não podem viver por muito tempo fora da água; similarmente, as almas perdidas, os espíritos impuros, precisam permanecer nos planetas de vibrações astrais grosseiras, enquanto que as almas mais refinadas residem em planetas luminosos de vibrações sutis. Se as almas perdidas ousassem se aproximar dessas regiões mais sutis, levariam um choque – ou seriam “astralocutadas” – pela elevada voltagem da energia astral.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 442.

Capítulo 24: A expulsão de demônios.

Frutos do Despertar Espiritual

“Os frutos do despertar espiritual são uma bênção não apenas para a nossa própria vida, mas para o mundo em geral. Este é o segundo significado de “um é o que semeia, e outro o que ceifa“: uma referência ao karma coletivo. Cada pessoa semeia boas ou más ações no solo de sua vida, e não é apeanas ela quem ceifa a colheira cármica dessas ações; ela faz com que também os outros colham os frutos.

As ações de cada indivíduo deixam marcas eletromagnéticas em seu cérebro, influenciando suas ações futuras; e elas também deixam marcas vibratórias no éter, que são registradas e exercem sua influência na mente dos outros.

(…)

Aquele que se torna um ser divino eleva automaticamente incontáveis pessoas no caminho espiritual. Quem se torna mau degrada os outros e os faz decair do plano espiritual ao ocasionar um efeito nocivo sobre suas fraquezas potenciais. Aquele que reforma a si mesmo reforma milhares; pois o que alguém semeia no éter, por meio das vibrações de seus pensamentos e de seu caráter, outros certamente colherão.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 357-359.

Capítulo 19: “Meu alimenteo é fazer a vontade Daquele que me enviou”, A Mulher de Samaria, parte III.

Faculdade Intuitiva

“Quando a inquietude mental se acalma e a consciência é interiorizada, em contato com a alma, a faculdade intuitiva capaz de revelar Deus é despertada.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 336.

Capítulo 18: Adorar a Deus “Em Espíto e em verdade”. A Mulher de Samaria, Parte II.

Despertar da Kundalini

Instrutores ignorantes frequentemente associam kundalini com a força sexual e a envolvem em mistério, a fim de assustar neófitos quanto ao perigo de despertar essa sagrada força serpentina. Confundir o despertar de kundalini com o estímulo da consciência sexual é uma concepção interiramente corrompida e extremamente ridícula. Ao contrário, no despertar de kundalini a força vital do iogue se retira dos nervos sensoriais, particularmente aqueles relacionados ao sexo, conferindo-lhe absoluto controle sobre as tentações sensoriais e sexuais.

(…)

Os sentidos da visão, audição, paladar, tato e olfato são como Cinco holofotes que revelam a matéria. À medida que a energia vital flui ao exterior através desses raios sensoriais, o homem é atraído por belas faces, sons cativantes ou sedutores perfumes, sabores e sensações táteis. Esse é um processo natural; mas aquilo que é natural para a consciência limitada ao corpo não é natural para a alma. Entretanto, quando essa energia vital divina é retirada dos sentidos autocráticos através da via espinal, chegando ao centro espiritual de percepção infinita no cérebro, então o holofote de energia astral lança-se à imensidão da eternidade para revelar o Espírito universal. O devoto sente-se atraído ao Sublime Sobrenatural – a Beleza de todas as belezas, a Música de todas as músicas, a Alegria de todas as alegrias. Ele pode tocar o Espírito em todo o universo e ouvir a voz de Deus reverberando em todas as esferas. A forma se dissolve no Sem-Forma. A consciência do corpo, confinada a uma pequena forma temporária, expande-se ilimitadamente no Espírito eternamente existente e sem forma.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 293-294.

Capítulo 13: O segundo nascimento do homem: o nascimento no Espírito – Diálogo com Nicodemos, parte I.

Diálogo com Nicodemos

“Em resposta, Cristo dirigiu a atenção de Nicodemos diretamente à Fonte celestial de todos os fenômenos da criação, tanto mundanos quanto “milagrosos”, afirmando sucintamente que todos podem entrar em contato com essa Fonte e conhecer as maravilhas que dela procedem, assim como fazia Jesus, ao passarem pelo “segundo nascimento” espiritual do despertar intuitivo da alma.

(…)

As multidões superficialmente curiosas, atraídas por demosntrações de poderes extraordinários, receberam apenas uma parcela escassa do tesouro da sabedoria de Jesus, mas a inequivoca sinceridade de Nicodemos lhe permitiu obter do Mestre uma orientação precisa que enfatizava o Poder e o Objetivo Supremos nos quais o homem deve concentrar-se. Os milagres da sabedoria que iluminam a mente são superiores aos milagres de cura física e controle da natureza; e milagre ainda maior é a cura da causa-raiz de todas as formas de sofrimento: a ignorância ilusora que obscurece a unidade da alma humana com Deus.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 263-264.

Capítulo 13: O segundo nascimento do homem: o nascimento no Espírito – Diálogo com Nicodemos, parte I.

Jesus Despertou Sonho de Maya

“Em sua união com essa soberana Inteligência Crística, Jesus despertou do grande sonho de maya; ele havia transcendido a consciência fixa que permanece sob o controle da Hipnotizadora Cósmica. Desse modo, ele pôde transformar à vontade os pensamentos materializados de pedras em pão, ou de água em vinho.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 247.

Capítulo 11: Água em vinho: “Jesus principiou assim os seus sinais (…)”

Eminente Criador

“Caso Deus Se revelasse como o Eminente Criador ou mundo como Autoridade Inquestionável, os seres humanos perderiam seu livre-arbítrio nesse mesmo instante; eles não poderiam deixar de ser impelidos à Sua glória manifestada. Se Ele exibisse Sua onipotência em grandiosos milagres, as multidões assombradas seriam atraídas compulsoriamente a Deus por esses fenômenos, em vez de optarem por Ele com o amor espontâneo de sua alma.

(…)

No momento propício, diante de pessoas que têm a possibilidade de despertar espiritualmente, Deus permite a Seus santos que manifestem feitos extraordinários; mas nunca para satisfazer a curiosidade vã.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 240-241.

Capítulo 11: Água em vinho: “Jesus principiou assim os seus sinais (…)”