A falta da estrutura firme

“Ao tempo falta hoje a estrutura firme. Ele não é uma casa, mas um fluxo volúvel. Desintegra-se em mera sucessão de presentes pontuais. Ele se esvai. Nada lhe dá uma parada [Halt]. O tempo que se esvai não é habitável.”

HAN, Byung-Chul.O desaparecimento dos rituais: Uma topologia do presente. Ed. Vozes, 2021, Local 64.

Coação de produção

Elementos Importantes da Explicação

” (…) alguns dos elementos mais importantes numa palestra são as palavras, locuções ou frases que dão pistas para a estrutura geral dela: “embora”, “um exemplo recente”, “por outro lado”, “vamos explicar melhor isso”, “fazendo, por um momento, o papel de advogado do diabo”, “vou contar a vocês duas histórias que comprovam essa conclusão”, “a título de complementação”, “nesse ponto vocês podem contestar, alegando que”, “ou seja, em suma”.

Outro fator importante é a sequência precisa das frases (…) É importante ser claro num livro, e mais ainda numa palestra. Por fim, é da máxima conveniência pedir ajuda a pessoas leigas no assunto, pois serão elas que melhor perceberão as falhas.

Uma palestra não é um recipiente ou um compartimento em que você despeja conteúdo. É um processo, uma trajetória. O objetivo é levar o ouvinte de onde ele está a um lugar novo.

(…)”Torne tudo tão simples quanto possível. Mas não simplifique.”

ANDERSON, Chris, Ted Talks: O Guia Oficial do Ted para Falar em Público, Ed. Intrinseca, 2016, Pág. 83-84.

Capítulo 2 – Ferramentas da Palestra: Explicação.

Da Linha Mestra à Estrutura

“uma linha mestra exige que, antes de tudo, você identifique uma ideia que possa ser exposta de forma adequada no tempo disponível. Em seguida, construa uma estrutura que ligue todos os elementos da palestra a essa ideia.

(…)

Outra proposta poderia simplesmente apresentar, em sequência, cinco trabalhos separados que interliguem um tema comum, começando e acabando com o projeto corrente. Nessa estrutura, pode-se pensar na linha mestra como um arco que ligue cinco caixas, cada qual representando um trabalho.

Sir Ken Robinson:

A. Introdução – apresentação, o que será exposto

B. Contexto – por que a questão é relevante

C. Conceitos principais

D. Implicações práticas

E. Conclusão

Sir Ken me disse: “Existe uma velha fórmula para a redação de ensaios. Nela, um bom ensaio responde a três perguntas: O qué? E dai? E agora? É mais ou menos isso.”

ANDERSON, Chris, Ted Talks: O Guia Oficial do Ted para Falar em Público, Ed. Intrinseca, 2016, Pág. 48-49.

Capítulo 1 – Fundamentos: Linha Mestra.