Vibração Cósmica de Om

“Jesus, por meio do poder da Vibração Cósmica de Om e com sua voz impregnada de Om, ordenou ao demônio que deixasse o corpo do indivíduo acometido. O demônio, sem desejar obedecer a Jesus, lutou contra a poderosa vibração. Isso gerou convulsões no corpo do homem endemoninhado enquanto a poderosa Corrente Cósmica vibrando em seu interior tentava desalojar e expulsar o espírito intruso. Por fim, a entidade demoníaca saiu do corpo violentamente, deixando o homem exausto e abalado, mas não ferido, incapaz de causar-lhe dano graças à intervenção do divino Cristo Jesus.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 446.

Capítulo 24: A expulsão de demônios.

Desalojar Demônios Imputros

“Um corpo humano comumente não pode alojar um outro ser junto com o seu (exceto no caso de uma gestante); mas pessoas espiritualmente habilitadas são capazes de discernir casos autênticos de possessão espiritual, porque dentro do indivíduo possuído podem contemplar, por meio de seus poderes psíquicos, o corpo astral do visitante invisível lado a lado com o corpo astral do hospedeiro. O único modo pelo qual um leigo pode identificar um caso de possessão por espíritos é pela análise dos diferentes estados de paroxismo e de comportamento violento a que está sujeito o possesso. Quem está possuído por maus espíritos demonstra usualmente uma força física incomum, olhos avermelhados, uma expressão inexplicavelmente estranha e ausência de conduta normal.

(…)

Se a possessão por demônios impuros ou espíritos desencarnados prossegue por muito tempo, grande dano ocorre no cérebro, na mente e nos órgãos sensoriais do indivíduo possuído, trazendo a ameaça de uma insanidade permanente.

(…)

É necessário ter uma forte concentração e divino poder de vontade para desalojar um mau espírito. Quem tem força espiritual dinâ mica pode expulsar a entidade olhando-a de maneira constante nos olhos do indivíduo acometido, utilizando um firme e silencioso poder de vontade de forma contínua, enquanto ordena internamente ao mau espírito que se vá.

Ao sussurrar “Om” repetidas vezes no ouvido direito de um indivíduo possesso, o espírito maligno terá que partir. As almas perdidas, vindas das obscuras regiões astrais inferiores, não podem suportar a vibração elevada da consciência e pensamentos espirituais. A pronúncia de nomes e palavras sagradas, especialmente Om, Om, Om, no ouvido de indivíduos possessos geralmente traz uma resposta rápida e amedrontada (…)”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 444-445.

Capítulo 24: A expulsão de demônios.

Almas Perdidas

“Os habitantes do mundo astral vestem corpos feitos de energia e luz e estão confinados a esferas astrais superiores ou inferiores, de acordo com seu karma. Existem, entretanto, alguns seres astrais co nhecidos como “almas perdidas”. Essas almas estão presas à Terra por causa de fortes impulsos e apegos materiais, e vagueiam no éter, desejosas de entrar novamente numa forma física para satisfazer sua necessidade de gratificação sensorial.(…)  há ocasiões em que as almas perdidas tomam posse do corpo e da mente de alguém, mas apenas de pessoas vulneráveis, mentalmente instáveis ou que enfraqueceram a mente mantendo-a com frequência em branco ou sem pensamentos. Devido a esse vazio mental e à atração cármica, elas involuntariamente convidam espíritos errantes a entrar em seu corpo.

Demônios imundos, citados nos casos de possessão que Jesus exorcizou, são os entes astrais, entre as almas perdidas, que na Terra foram assassinos, ladrões ou outros criminosos, beberrões, devassos, e especialmente as pessoas corruptas e traiçoeiras que não se purifica ram de suas más propensões antes da morte. (…) Elas vagueiam por esferas astrais inferiores, aprisionadas em seus corpos astral e causal, sem encontrar descanso, abominando a ideia de renascer na Terra ou lamentando a perda de sua encarnação física. Essas almas desoladas têm de vagar pelo éter até que, pela operação da lei divina, se esgotem alguns dos efeitos cármicos de suas más ações. Os espíritos demoníacos que estão entre essas almas são muito inescrupulosos, assim como eram na vida terrena.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 440.

Capítulo 24: A expulsão de demônios.

Almas Perdidas e Espíritos Diabólicos

“Em raras ocasiões, a insanidade não se deve a um transtorno do cérebro, mas à possessão por almas perdidas, algumas das quais são espíritos malignos demoníacos que podem ser exorcizados ou expulsos por agentes de cura como Cristo.

(…) uma alma perdida de natureza demoníaca é muitas vezes o espírito desencarnado de um assassino, ou de algum outro perverso criminoso, ou de um indivíduo devasso – um “demônio”. Por causa de uma profana desconsideração para com a santidade da vida, seu próprio karma condena o espírito de tais pecadores a uma existência horripilante nas esferas inferiores do mundo astral, onde eles permanecem “presos à terra”, perambulando desconsoladamente em regiões tenebrosas do espaço etéreo astral.

(…)

Tais espíritos diabólicos que se apinhavam no cérebro de sua vítima deleitavam-se sumamente com sua liberdade em meio às percepções de um mundo repleto de objetos definidos e em que podiam desfrutar, através do cérebro do indivíduo possuído, as sensações de som, luz, paladar, olfato e tato. Temiam que lhes fosse negada a possibilidade de seguir passeando no veículo corporal – que mantinham à deriva num mundo de sensações e cenários físicos – e que fossem novamente arrojados ao inferno e aos pesadelos de uma obscura existência subconsciente, “o abismo.

(…)

Os espíritos imundos, juntamente com as almas (a consciên individualizada em processo de evolução) dos porcos, viram-se for dos a regressar à obscura região astral dos seres não evoluídos – Os es píritos malignos foram arrojados novamente ao estado subconsciente dos pesadelos que eles mesmos criaram; as almas dos porcos em breve reencarnariam em formas de vida mais desenvolvidas, de acordo com a ordem natural da evolução ascendente.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. II. Editora Self, 2017, pág. 178-180.

Capítulo 38: “A tua fé te salvou” A tempestade, a doença, os demônios e a morte curvam-se diante da vontade de Jesus.