Verdadeira democracia

A “verdadeira democracia” (Foucault faz referência ao historiador grego Políbio) é guiada por dois princípios, o da isegoria e o da parrhesia. A isegoria diz respeito ao direito concedido a todo cidadão de se expressar livremente. A parrhesia, o dizer a verdade, pressupõe e exige a isegoria, mas excede o direito constitucional de tomar a palavra. Ela proporciona a determinados indivíduos “dizer o que pensam, o que assumem como verdadeiro, o que realmente assumem como verdadeiro”.

HAN, Byung-Chul. Infocracia: Digitalização e a crise da democracia. Ed. Vozes, 2022, Local 873.

A crise da verdade

Sociedade disciplinar de Foucault

“A sociedade disciplinar de Foucault, feita de hospitais, asilos, presídios, quartéis e fábricas, não é mais a sociedade de hoje. Em seu lugar, há muito tempo, entrou uma outra sociedade, a saber, uma sociedade de academias de fitness, prédios de escritórios, bancos, aeroportos, shopping centers e laboratórios de genética. A sociedade do século XXI não é mais a sociedade disciplinar, mas uma sociedade de desempenho. Também seus habitantes não se chamam mais “sujeitos da obediência”, mas sujeitos de desempenho e produção. São empresários de si mesmos.”

HAN, Byung-Chul. Sociedade do Cansaço. Ed. Vozes, 2022, Local 168.

2 | Além da sociedade disciplinar