Grupos de Bruxaria

“O coven é um grupo pequeno, e seus membros são bem próximos. (…) Não basta que todos vocês tem interesse pela Antiga Religião. Vocês devem ser compatíveis e se sentiu totalmente confortáveis uns com os outros. Chegar a este ponto leva tempo e, por esse motivo, não se deve ter pressa se formar um coven. (…) No entanto, não encare com tanta seriedade essas questões a ponto de perder todo seu senso de humor. A religião é assunto sério, sem dúvida, mas os deuses sabem se divertir e os bruxos sempre sentir um prazer em praticar a sua Arte. Os rituais um coven não devem ser realizados levianamente, é claro, mas, se alguém cometer um erro (ou se sentar sobre uma vela!), Não tenha medo de assumir seu lado humano e cair na risada. Os rituais religiosos devem ser realizados por que você quer realizá-los e gosta de realizá-los, não porque você tem que realizá-los (podemos deixar isso para as outras crenças!).”

Buckland, Raymond. Livro completo de bruxaria de Raymond Buckland: tradição, rituais, crenças, história e prática. Editora Pensamento Cultrix, São Paulo, 2019, p. 148.

Humor e Sofisticação

“A sofisticação do humor da imagética infantil, quando modulada numa habilidosa versão mitológica da doutrina metafísica, emerge de maneira magnificente  num dos mais bem conhecidos dentre os grandes mitos do mundo oriental(…).”

Campbell, Joseph. O herói de mil faces. Pensamento, São Paulo, 2007, p. 167.

Daremos Boas Risadas.

Diário Espiritual de  30 de setembro de 2018

“Você fica animado não é? É tão longo o nosso caminho que um dia olharemos juntos para esse momento e daremos boas risadas.

Cada passo dado na direção do propósito é um passo firme que renova a fé, a capacidade criativa-criadora! A jornada é grande e vai transformar o terreno vazio num jardim inimaginável. Pode parecer distante, mas está às portas.

Grave para este mês a meditação guiada. Ao fim de outubro você marca o encontro de vibração, assim diminuímos o choque das egrégoras.”

General.