A liberdade e a passividade da intuição

“A liberdade não se manifesta como ênfase da ação, mas como passividade da intuição. A ação dá lugar ao escutar: “Somente a tendência à intuição, quando direcionada ao infinito, põe a mente em liberdade ilimitada.”

HAN, Byung-Chul. Vita Contemplativa, ou sobre a inatividade. Ed. Vozes, 2023, Local 1610.

A sociedade que vem

Traço da contemplação

“A negatividade do não-para é também um traço essencial da contemplação. Na meditação zen, por exemplo, tenta-se alcançar a negatividade pura do não-para, isto é, o vazio, libertando-se de tudo que aflui e se impõe. Assim é um processo extremamente ativo, e algo bem distinto que passividade.”

HAN, Byung-Chul. Sociedade do Cansaço. Ed. Vozes, 2022, Local 465.

5| Pedagogia do ver