Observações Espirituais

“Mas e a luz? A matéria que conhecemos no mundo transfigurou-se. Tudo aqui se converteu em claridade nova!”

    • Um homem encarnado é um gerador de força eletromagnética, com oscilação por segundo, registrada pelo coração.
    • Todas as substâncias vivas da terra emitem energias, enquadradas nos domínios das radiações ultravioletas
    • (…) Em apreciáveis condições vibratórias pela sincera devoção ao bem, com esquecimento do seus próprios desejos. Podem, deste modo projetar raios mentais, em vias de sublimação, assimilando corrente superiores e enriquecendo os raios vitais* de que são dínamos comuns.

Xavier, Francisco Cândido / André Luiz. Nos Domínios da Mediunidade. Federação Espírita Brasileira, Brasília, 1955, pp. 19-26.

Psicoscopia da personalidade

“Funciona a base de eletricidade e magnetismo, utilizando-se de elementos radiantes, análogos na essência aos raios gama. É constituído por óculos de estudo, com recursos disponíveis para microfotografia.

(…) “Analisando a psicoscopia de uma personalidade ou de uma equipe de trabalhadores, é possível anotar-lhes as possibilidades e categorizar-lhes a situação. Segundo as radiações que projetam, planejamos a obra que podem realizar no tempo. (…) “a moralidade, o sentimento, a educação e o caráter são claramente perceptíveis com ligeira inspeção.

Xavier, Francisco Cândido / André Luiz. Nos Domínios da Mediunidade. Federação Espírita Brasileira, Brasília, 1955, pp. 19-26.

Radiações de tecidos humanos

Na revista Everyday Science and Mechanics, de setembro de 1932, foi publicado o seguinte artigo:

Tecidos Humanos produzem Radiações Mortais

“De acordo com o professor Otto Rabn, da Universidade de Cornell, raios emitidos do sangue humano, da ponta dos dedos, do nariz e dos olhos são capazes de exterminar o fermento e outros micro-organismos. O fermento, o mesmo usado na manufatura do pão, morreu um cinco minutos meramente pela radiação das pontas dos dedos de uma pessoa. Quando uma placa de quartzo, de 12 mm de espessura, foi interposta, foi preciso quinze minutos para que a mesma coisa acontecesse. Em testes com a ponta dos dedos, descobriu-se que a mão direita é mais forte do que a esquerda, mesmo em pessoas canhotas.

O professor Rahn continuou seus experimentos e publicou os resultados na obra Radiações Invisíveis dos Organismos (Berlim, 1936). (…) ele explicou que os “raios” pareciam sair com mais ímpeto da ponta dos dedos, da palma das mãos, da sola dos pés, das axilas, dos órgãos sexuais e – apenas em mulheres – dos seios.

Buckland, Raymond. Livro completo de bruxaria de Raymond Buckland: tradição, rituais, crenças, história e prática. Editora Pensamento Cultrix, São Paulo, 2019, p. 50.