Os Caminhos Que Levam a Mim

“No Bhagavad Gita, o Senhor promete: “Qualquer que seja o modo pelo qual as pessoas sejam devotadas a Mim, nessa medida Eu Me manifesto a elas. Todos os homens, de todas as maneiras (de Me buscar) seguem um caminho que leva a Mim” (IV:11).”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 340.

Capítulo 18: Adorar a Deus “Em Espíto e em verdade”. A Mulher de Samaria, Parte II.

Evangelhos São Escritos Religiosos

“Essas diferenças, por outra parte, são devidas ao fato de que os evangelistas não pretendem fazer da vida do Senhor uma narrativa propriamente histórica. Os Evangelhos são escritos religiosos, doutrinais, destinados a alimentar a fé e a comunicá-la, fazendo conhecer a pessoa de Jesus. Cada autor, ao escrever, tinha seu ponto de vista particular. Mateus escreve na Palestina para leitores judeus; seu texto se particulariza pela abundância de citações do Antigo Testamento. Marcos quer apresentar Jesus aos pagãos, fazendo notar sobretudo o que havia
de extraordinário e de valor probatório de sua missão nos milagres por ele operados. Lucas, escrevendo também para os pagãos, tem a visível preocupação de apresentar Jesus sob um aspecto mais atraente e comovedor, fazendo notar, antes de tudo, a bondade e a misericórdia do Salvador. João procura mostrar aos seus leitores a divindade de Jesus e revelar-lhes um pouco de sua realidade invisível, mas conservando o cuidado de apresentálo como um homem no concreto de seus atos e de seus discursos.”

Bíblia Sagrada Ave-Maria: Edição revista e ampliada. Edição Claretiana Editora Ave-Maria, Editora Ave-Maria, 2012. Versão Kindle, Posição 1192.

José; Abra os Teus Olhos e Vê Quem é Que Fala Contigo

“E José disse: No dia da preparação, por volta da décima hora, você me prendeu, e eu continuei ali o sábado inteiro. E à meia-noite, enquanto eu me levantava e orava, a casa em que você me prendeu foi levada pelosquatro cantos, e eu vi como um lampejo de luz nos meus olhos, e, cheio de medo, caí por terra. E alguém me pegou pela mão e me tirou do lugar em que eu havia caído; e a umidade da água foi derramada sobre mim da cabeça aos pés, e um cheiro de ungüento surgiu em minhas narinas. E ele enxugou meu rosto, me beijou e me
disse: Não temas, José; abra os teus olhos e vê quem é que fala contigo. E olhei para cima e vi Jesus e eu tremia, e supus que fosse um espírito; e eu disse os mandamentos: e ele os disse comigo. E como não ignorais que um
espírito, se encontra alguém e ouve os mandamentos, imediatamente foge. E quando percebi que ele os havia recitado comigo, perguntei-lhe: Rabi Elias? E ele me disse: eu não sou Elias. E eu lhe disse: Quem és, Senhor? E ele me disse: Eusou Jesus, cujo corpo você pediu a Pilatos, e me vestiu com roupas limpas e cobriu meu rosto com um guardanapo. Deitou-me em sua nova caverna e rolou uma grande pedra sobre a porta da caverna. E eu disse a ele que falava comigo: Mostra-me o lugar onde eu te deitei. E ele me trouxe e me mostrou o lugar onde
eu o deitei, e o pano de linho estava nele, e o guardanapo que estava em seu rosto. E eu sabia que era Jesus. E ele me pegou pela mão e me pôs no meio da minha casa, fechando as portas, e me deitou na minha cama e me disse:
Paz seja contigo. E ele me beijou e me disse: Até quarenta dias terem se passado não saias de tua casa; pois eis que vou a meus irmãos na Galiléia.”

Nascimento, Peterson do. O Evangelho Segundo Nicodemos (Coleção Apócrifos do Cristianismo Livro XI) – Versão Kindle, Posição 531.

Governador Espiritual

“(…) nosso único propósito é esclarecer o entendimento do leitor, quanto à direção do planeta, que se conserva, de fato, no mundo espiritual, de onde o Cristo vela incessantemente pelo orbe e pelos seus destinos.”

Xavier, Francisco Cândido / Emmanuel. A Caminho da Luz. Federação Espírita Brasileira, Brasília, 2016, p. 91.

Enviados de Jesus ao Plano Material

“Krishna, Buda e outros grandes enviados de Jesus ao plano material, para exposição de suas verdades salvadoras, foram compreendidos pelo grande povo sobre cuja fronte derramou o Senhor, em todos os tempos, as claridades divinas do seu amor desvelado e compassivo.

(…)

Nos bastidores da civilização, somos compelidos a reconhecer que a Índia foi a matriz de todas as filosofias e religiões da humanidade (…).”

Xavier, Francisco Cândido / Emmanuel. A Caminho da Luz. Federação Espírita Brasileira, Brasília, 2016, p. 46-48.

Comunidade de Seres Angélicos

“Rezam as tradições do mundo espiritual que na direção de todos os fenômenos, do nosso sistema, existe uma comunidade de Espíritos puros e eleitos pelo Senhor supremo do universo, em cujas mãos se conservam as rédeas diretoras da vida de todas as coletividades planetárias.

Essa comunidade de seres angélicos e perfeitos, da qual é Jesus um dos membros divinos, ao que nos foi dado saber, apenas já se reuniu, nas proximidades da Terra, para a solução de problemas decisivos da organização e da direção do nosso planeta, por duas vezes no curso dos milênios conhecidos.

(…)

A primeira, verificou-se quando o orbe terrestre se desprendia da nebulosa solar, (…) e a segunda, quando se decidia a vinda do Senhor à face da Terra.”

Xavier, Francisco Cândido / Emmanuel. A Caminho da Luz. Federação Espírita Brasileira, Brasília, 2016, p. 13.

Poder Mental

“E agora quereis que vos explique os milagres de Jesus. Somos todos o miraculoso gesto do momento; nosso Senhor e Mestre era o centro daquele momento.

Entretanto, não era de Seu desejo que Seus gestos fossem conhecidos.

Ouvi-O dizer ao aleijado: “Levanta-te e vai para casa, mas não contes aos sacerdotes que eu te curei.”

E o pensamento de Jesus não estava com o coxo; mas antes com os fortes e os aprumados.

Sua mente procurava e capturava outras mentes, e Seu espírito visitava outros espíritos.

E ao fazê-lo, Seu espírito transformava essas mentes e esses espíritos. Parecia milagroso, mas para nosso Senhor e Mestre era simplesmente como respirar o ar de cada dia.”

GIBRAN, Gibran Khalil.  Jesus, o Filho do Homem. Tradução: Mansour Challita. Associação Cultural Internacional Gibran, 1973, pág. 133.

Provas a que Somos Confiados

“Áulus, porém, cortou-lhe a frase, acrescentando:

– Esquece-se de que seu esposo precisa muito mais agora de seu entendimento e carinho? Nem sempre a mulher poderá ver no companheiro o homem amado com ternura, mas sim um filho espiritual necessitado de compreensão e sacrifício para soerguer-se, como também nem sempre o homem conseguirá contemplar na esposa a flor de seus primeiros sonhos, mas sim uma filha do coração, a requisitar-lhe tolerância e bondade, a fim de que se transfira da sombra para a luz. Anésia, o amor não é tão-somente a ventura rósea e doce do sexo perfeitamente atendido. É uma luz que brilha mais alto, inspirando a coragem da renúncia e do perdão incondicionais, em favor do ser e dos seres que nós amamos. Jovino é uma planta que o Senhor lhe confiou às mãos de jardineira. É compreensível que a planta seja assaltada pelos parasitas ou pelos vermes da morte, todavia, nada há a recear se a jardineira está vigilante…”

Xavier, Francisco Cândido / André Luiz. Nos Domínios da Mediunidade. Federação Espírita Brasileira, Brasília, 1955, Capítulo 20.

A Árvore do Evangelho

“Sobre os nossos esforços há de pairar a direção do Senhor, que se desvela amorosamente pelo cultivo da árvore sagrada dos ensinamentos, transplantada da Palestina para o coração do Brasil.”

Xavier, Francisco Cândido / Humberto de Campos. Brasil: Coração do Mundo, Pátria do Evangelho. Federação Espírita Brasileira, Brasília, 1938, pp. 95-96.