Instrução e Expansão

“Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; por tanto sede prudentes como as serpentes e simples como as pombas. Acautelai-vos, porém, dos homens; porque eles vos entregarão aos sinédrios, e vos acoitarão nas suas sinagogas; e sereis até conduzidos à presença dos governadores e dos reis por causa de mim, para lhes servir de testemunho a eles e aos gentios. Mas, quando vos entregarem, não vos de cuidado como, ou o que haveis de falar, porque na quela mesma hora vos será ministrado o que haveis de dizer. Porque não sois vós quem falará, mas o Espírito de vosso Pai é que fala em vós.

“E o irmão entregará à morte o irmão, e o pai o filho; e os filhos se levantarão contra os pais, e os matarão. E odiados de todos sereis por causa do meu nome, mas aquele que per severar até o fim será salvo.

“Quando pois vos perseguirem nesta cidade, fugi para outra; porque em verdade vos digo que não acabareis de percorrer as cidades de Israel sem que venha o Filho do homem. Não é o discípulo mais do que o mestre, nem o servo mais do que o seu senhor. Basta ao discípulo ser como seu mestre, e ao servo como seu senhor. Se chamaram Belzebu ao pai de família, quanto mais aos seus domésticos?

“Portanto, não os temais; porque nada há encoberto que não haja de revelar-se, nem oculto que não haja de saber-se. O que vos digo em trevas, dizei-o na luz; e o que escutais ao ouvido, pregai-o sobre os telhados.

“E não temais os que matam o corpo, e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo.

“Não se vendem dois passarinhos por um ceitil? E nenhum deles cairá em terra sem a vontade de vosso Pai. E até mesmo os cabelos da vossa cabeça estão todos contados. Não temais pois; mais valeis vós do que muitos passarinhos.

“Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus. Mas qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei tam bém diante de meu Pai, que está nos céus.

“Não cuideis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer paz, mas espada; porque eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra; e assim os inimigos do homem serão seus familiares. Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim; e quem ama o filho ou a filha mais do que a mim não é digno de mim. E quem não toma a sua cruz, e não segue após mim, não é digno de mim. Quem achar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a sua vida por amor de mim achá-la-á.

“Quem vos recebe, a mim me recebe; e quem me recebe a mim, recebe aquele que me enviou. Quem recebe um profeta em qualidade de profeta, receberá galardão de profeta; e quem recebe um justo em qualidade de justo, receberá galar dão de justo.

“E qualquer que tiver dado só que seja um copo de água fria a um destes pequenos, em nome de discípulo, em verdade vos digo que de modo algum perderá o seu galardão.”

E, aconteceu que, acabando Jesus de dar instruções aos seus doze discípulos, partiu dali a ensinar e a pregar nas cidades deles.”

Mateus 10:16-11:1

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol II. Editora Self, 2017, pág. 234-235.

Capítulo 41: Conselhos de Jesus aos que pregan a palavra de Deus (Parte II).

Ciclos de Evolução e Decadência

“A raça humana passa por repetidos ciclos de evolução e decadência, que constam de quatro períodos, durante os quais as faculdades mentais e morais do homem se desenvolvem gradualmente desde as trevas da era materialista até a iluminação da era espiritual, para então, através de um longo declínio, voltar a cair no materialismo.”*

*Nota: As escrituras da India identificam estes quatro períodos como Kali Yuga (a era em que a humanidade percebe apenas os aspectos físicos mais densos da criação), Dwapara Yuga (quando o intelecto humano se desenvolve o suficiente para compreender e controlar as forças sutis atômicas e eletromagnéticas), Treta Yuga (a era mental, em que os poderes latentes da mente se desenvolvem de maneira extraordinária) e Satya Yuga (a era da iluminação espiritual, quando a humanidade como um todo vive em sintonia com Deus, com as Suas leis e com os Seus planos para a criação).

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol II. Editora Self, 2017, pág. 197.

Capítulo 39: “Nenhum profeta é bem recebido na sua pátria”

Meditação e Sabedoria

“Embora o homem possa optar livremente por ações boas ou más, depois de agir ele não tem livre escolha quanto às consequências.”

(…)

“Quem não cultiva a verdadeira percepção da sabedoria é responsável por abrigar as trevas do mal”

(…)

“Espiritualizar a própria vida por meio do comportamento correto e, principalmente, pela comunhão divina em meditação regular e profunda é o modo de expulsar as entidades do mal e tornar acessívis as percepções latentes do céu interior.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 449-451.

Capítulo 24: A expulsão de demônios.

Sabedoria Santificadora

“(..) a alma imortal do homem, um reflexo do Espírito transcendente, está acima do jugo da lei de causa e efeito da criação. Para alguém identificado com sua pretensa natureza mortal, a lei cármica distribui sabedoria e felicidade somente de acordo com o mérito conquistado. Aquele que está identificado com o Espírito colhe, sem limitações, a riqueza infinita da Divindade.

Não há coisa alguma que a alma necessite adquirir. Como filho de Deus, ela necessita apenas possui lembrar-se daquilo que já possui em forma latente:sua infinita herança de sabedoria do Pai Divino.

“Assim como a chama acesa converte a lenha em cinzas, também o fogo da sabedoria reduz a cinzas todo o karma! Verdadeiramente, nada mais neste mundo é tão santificador quanto a sabedoria” (A Yoga do Bhagavad Gita, IV:37-38).”

(…)

Assim como a escuridão dos olhos fechados se dissipa imediatamente quando se abrem os olhos, da mesma forma, no instante em que alguém abre o seu olho de sabedoria, as trevas da ignorância são banidas e ele se contempla como alma perfeita, na luz de Deus. Este é um grande conforto, pois alcançar a perfeição por meio do processo cármico natural de tentativa e erro parece quase uma impossibilidade, requerendo incontáveis encarnações. O homem tem de trabalhar para adquirir prosperidade, sabedoria e felicidade; um filho de Deus que tenha alcançado a Autorrealização, ao recuperar sua herança divina, já possui todas as coisas.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 355-356.

Capítulo 19: “Meu alimenteo é fazer a vontade Daquele que me enviou”, A Mulher de Samaria, parte III.

O Absoluto Não-Manifestado

Espirito significa o Absoluto não-manifestado. Na treva sem treva e na luz sem luz da eterna infinitude – sem nem mesmo a mínima ondulação de pensamento ou atividade vibratória para manifestar a criação; onde as próprias categorias de espaço, tempo e dimensão são inexistentes – lá habita a Bem-aventurança sempre-existente, sempre-consciente e sempre-nova, que é o Espírito.

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 339.

Capítulo 18: Adorar a Deus “Em Espíto e em verdade”. A Mulher de Samaria, Parte II.

Esta é A Luz do Pai, o Filho de Deus

“Agora, quando fomos colocados juntos com todos os nossos pais nas profundezas, na obscuridade da escuridão, de repente veio um calor dourado do sol e uma luz roxa e real brilhando sobre nós. E imediatamente o pai de
toda a raça dos homens, juntamente com todos os patriarcas e profetas, se alegraram, dizendo: Esta luz é o autor da luz eterna que prometeu enviar-nos sua luz co-eterna. E Isaías clamou e disse: Esta é a luz do Pai, o Filho de
Deus, como profetizei quando vivi na terra. A terra de Zabulom e a terra de Neftalim além do Jordão, da Galiléia dos gentios, o povo que andava nas trevas viu uma grande luz, e os que habitam na terra da sombra da morte,
sobre eles brilhou a luz. E agora veio e brilhou sobre nós que sentamos na morte.”

Nascimento, Peterson do. O Evangelho Segundo Nicodemos (Coleção Apócrifos do Cristianismo Livro XI) – Versão Kindle, Posição 651.

Necessidade da Higienização dos Fluídos Ambientais

Nota do Médium: Ramatís apenas indicou-nos as páginas das obras citadas e as respectivas alíneas, que então copiamos para facilidade de uma transcrição mais direta. Para isso usamos as seguintes obras: Voltei, 1 edição, do espírito de Irmão Jacó; Libertação, 20ª edição; Missionários da Luz, 41′ edição, e Nosso Lar, 1ª edição, estas últimas ditadas pelo espírito de André Luís.

(…)

O seu períspirito delicadíssimo sofria tanto os bombardeios mentais dos terrícolas, como a violenta ofensiva dos espíritos nas sombras, que tentavam impedir-lhe a encarnação terrena, pois do êxito da mesma decorria o enfraquecimento do comando satânico do mundo oculto sobre os homens.”

RAMATÍS. O Sublime Peregrino. Obra psicografada por Hercílio Maes. São Paulo: Ed. Conhecimento, 2020, pág. 45-46.

A Morte João Batista

“UMA NOITE, no mês de agosto, estávamos com o Mestre numa charneca perto do lago. A charneca era chamada pelos antigos Campina das Caveiras. E Jesus estava reclinado na relva e fitava as estrelas.

E, de repente, dois homens vieram correndo e chegaram, já sem fôlego, até junto de nós. Estavam como em agonia e caíram prostrados aos pés de Jesus. E Jesus levantou-se e disse-lhes: “Donde viestes?”

E um dos homens respondeu: “De Nacareus.” E Jesus olhou para ele e ficou perturbado, e disse: “Que é de João?”

E o homem disse: “Foi morto hoje. Decapitaram-no na cela da prisão.” Então Jesus ergueu a cabeça. E caminhou um pouco para longe de nós. Passado um momento, voltou para o nosso meio. E disse: “O rei poderia ter matado o profeta antes deste dia. Em verdade, o rei quis satisfazer seus súditos. Os reis de outrora não demoravam tanto em entregar a cabeça de um profeta aos caçadores de cabeças.

“Pesa-me, não por João, mas por Herodes, que deixou cair a espada. Pobre rei, qual um animal preso e levado com uma argola e uma corda. “Pobres tetrarquinhas perdidos em suas próprias trevas, como tropeçam e caem! E que tiraríeis dum mar estagnado se não peixes mortos?”

GIBRAN, Gibran Khalil.  Jesus, o Filho do Homem. Tradução: Mansour Challita. Associação Cultural Internacional Gibran, 1973, pág. 79.

Caminho Para a Vida Eterna

“Assim como um grande clarão dispersa as trevas, também as declarações espantosas, mas simples, de Jesus revelavam os fundamentos das leis de Deus. “Ama teu próximo; torna-te criança; faze aos outros o que queres que te façam; abandona as glórias e os tentações do mundo; busca o Reino dos Céus dentro de ti; ergue teus pensamentos a Deus em oração o comunhão”, e outras regras facilmente compreendidas, constituíam o verdadeiro Caminho para a Vida Eterna.”

LEWIS, H. Spencer. As Doutrinas Secretas de Jesus. Rio de Janeiro: Biblioteca Rosacruz, V. II, Ed. Renes, 1983, p. 193.

Não Existem Vitimas

“– E por que não separar de vez o algoz da vítima?

– Calma, Hilário! – ponderou o Assistente. Ainda não examinamos o assunto em sua estrutura básica. Toda obsessão tem alicerces na reciprocidade. Recordemos o ensinamento de nosso Divino Mestre. Não basta arrancar o joio. É preciso saber até que ponto a raiz dele se entranha no solo com a raiz do trigo, para que não venhamos a esmagar um e outro. Não há dor sem razão. Atendamos, assim, à lei da cooperação, sem o propósito de nos anteciparmos à Justiça Divina.”

Xavier, Francisco Cândido / André Luiz. Nos Domínios da Mediunidade. Federação Espírita Brasileira, Brasília, 1955, Capítulo 23.