Caminho da Sabedoria

“Isso pareceria justificar a conclusão de que a Inteligência Infinita tem um plano, ou uma lei pela qual ela faz com que homens se depararem com muitos obstáculos, antes de dar-lhes o privilégio da liderança ou a oportunidade de realizar um serviço útil, de uma forma notável.”

Hill, Napoleon. Mais Esperto que o Diabo: O mistério revelado da liberdade e do sucesso,Ed. Citadel, 2014, pág.37.

Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida

(…) Tomé lhe diz: “Senhor, não sabemos para onde vais.
Como podemos conhecer o caminho?” Diz-lhe Jesus: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vem ao Pai a não ser po mim.” * (João 14:5-6.)

O Evangelho de João, que contém esse trecho, é um livo notável que muitos gnósticos reclamam a si e unlizam como fonte primária para o ensinamento gnóstico.

PAGELS, Elaine. Os Evangelhos Gnósticos. Editora Objetiva, 1979, pág. 135.

Capítulo: 6- Gnosis: Autoconhecimento Como Conhecimento de Deus.

O Martírio não é o Caminho da Salvação

“O autor rejeita a propaganda ortodoxa em favor do martírio o caminho da salvação – e demonstra horror às suas exclamações de alegria diante de atos de violência contra os “pequeninos”. Desse modo, a comunidade católica “se diri- girá para um destino sombrio”;  muitos fiéis “serão oprimidos entre eles”.

o Apocalipse de Pedro…

(…) Aquele que você contempla feliz e sorridente em cima da cruz é o Jesus vivo. Mas este cujas mãos e pés estão perfurados por pregos é a sua parte carnal, é o substituto submetido à vergonha, aquele que veio à vida em sua semelhança. Eles aviltaram o que restou de sua aparência. E olhe para ele e (olhe para) mim!” *(Ibid., 81.15-24, em NHL 344.)

Através dessa visão, Pedro aprendeu a encarar o sofrimento. No início, temeu que ele e seu Senhor “morreriam”; agora compreendia que só o corpo, “sua réplica carnal”, o “substituto”, poderia morrer. O Senhor explica que a “parte primal”, o espírito inteligente, é libertado para se unir “à luz perfeita do meu santo espírito.”

PAGELS, Elaine. Os Evangelhos Gnósticos. Editora Objetiva, 1979, pág. 106-107.

Capítulo: 4- A Paixão de Cristo e a Perseguição aos Cristãos.

Faze Isso e Viverás

” (…) a essência da eterna verdade que caracteriza todos os caminhos espirituais genuínos, o irredutível imperativo que o homem precisa abraçar como alma individualizada, separada de Deus, se quiser recuperar a consciência de sua unidade com o Criador.”

Faze isso, e viverás“.

(…)

Destes dois mandamentos depende toda a lei e os profetas“.

(…)

* Nota: “Thomas Cahill, em seu livro The Gifts of the Jews (Nova York: Anchor Books, 1998), escreve: “Os livros da Bíblia hebraica são divididos em três seções: Torá [a Lei], Neviim [os Profetas] e Ketuvim [os Escritos], cujas letras iniciais formam o acrônimo Tanak, termo pelo qual a Bíblia é conhecida na tradição judaica. (…) Torá ou Instrução (algumas vezes traduzida como “Lei”) é também denominado o Pentateuco, ou seja, os Cinco Livros: Gênesis, Exodo, Levitico, Números e Deuteronômio. (…) A Torá é indiscutivelmente a escritura da tradição judaica, embora a expressão com frequência utilizada ‘A Torá (ou a Lei) e os Profetas’ nos alerte que essas duas partes da escritura são consideradas virtualmente inseparáveis.” (Nota da Editora)

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol II. Editora Self, 2017, pág. 500-501.

Capítulo 53: A observância dos dois maiores mandamentos.

O Caminho para a Felicidade

“O caminho seguro para a felicidade consiste em adquirir tudo o que seja necessário enquanto a mente descansa principalmente em Deus. Sair em busca de “necessidades” excessivas, num estado de esquecimento de Deus, levará com certeza ao sofrimento.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 570.

Capítulo 29: “Buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça” – O Sermão da Montanha, parte IV.

Os Caminhos Que Levam a Mim

“No Bhagavad Gita, o Senhor promete: “Qualquer que seja o modo pelo qual as pessoas sejam devotadas a Mim, nessa medida Eu Me manifesto a elas. Todos os homens, de todas as maneiras (de Me buscar) seguem um caminho que leva a Mim” (IV:11).”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 340.

Capítulo 18: Adorar a Deus “Em Espíto e em verdade”. A Mulher de Samaria, Parte II.

Obstáculos no Caminho Espiritual

“Os caprichos da volubilidade e o entusiasmo mental por tudo que seja novo são reais obstáculos no caminho espiritual. Experimentar uma igreja após outra, um instrutor após outro, coletando uma confusão de ideias incompatíveis – esta é uma fórmula segura de desenvolver indigestão teórica. O caminho para a sabedoria consiste em assimilar verdades por nossa própria percepção pessoal – não em acumular conceitos sem submetê-los à prova para confirmar sua validade.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 210.

Capítulo 9: Jesus encontra seus primeiros discípulos.

Atos dos Apóstolos

“O livro dos Atos dos Apóstolos foi escrito provavelmente entre 80 e 90 d.C. Seu autor é o mesmo do terceiro Evangelho; desde o séc. II, a tradição o identifica com Lucas, o médico que acompanhou Paulo (cf. Cl 4,14; Fm 24). De fato, é continuação do Evangelho de Lucas. Ambos formam, segundo o autor, o caminho da salvação: o Evangelho apresenta o caminho de Jesus; o livro dos Atos apresenta o caminho da Igreja, que prolonga o caminho de Jesus “até os extremos da terra”. O relato que une as duas obras é a ascensão, que coroa a vida de Jesus (Lc 24,51) e funda a missão universal da Igreja (At 1,8).”

(…)

“Podemos dizer que o livro dos Atos é o Evangelho do Espírito. Aí se conta que o Espírito Santo prometido faz nascer a comunidade cristã e a impulsiona para o testemunho aberto e corajoso do nome de Jesus, isto é, para anunciar a palavra e ação libertadora de Jesus. Esse testemunho provoca o surgimento da grande novidade que tende a transformar pessoas, relações e estruturas da sociedade, provocando alternativas que se chocam frontalmente com os interesses sociais vigentes.”

(…)

“Pode-se dizer que Atos é o livro da novidade e, portanto, também dos conflitos. Numa sociedade corroída pelo interesse e egoísmo, qualquer proposta de alternativa mais fraterna e igualitária provoca oposições e confrontos.”

Bíblia Sagrada. Edição Pastoral. Paulus Editora, 1990. Versão Kindle, Posição 64112- 64126.

O Evangelho de Lucas

“O Evangelho de Lucas apresenta o caminho de Jesus como caminho que se realiza na história. Para percorrê-lo, o Filho do Altíssimo (1,32) se faz homem em Jesus de Nazaré (2,1-7), trazendo para dentro da história humana o projeto de salvação que Deus tinha revelado, conforme a promessa feita no Antigo Testamento (1,68-70). O caminho de Jesus inicia o processo de libertação na história, e por isso realiza nova história: a história dos pobres e oprimidos que são libertos para usufruírem a vida dentro de novas relações entre os homens.”

Bíblia Sagrada. Edição Pastoral. Paulus Editora, 1990. Versão Kindle, Posição 60090.

O Caminho Reto Para a Ascensão

Primeiro, a força vital e a consciência precisam para a suprema ser retiradas dos sentidos e da inquietude corporal, cruzando os portais da Energia Cósmica representada pelo halo dourado do olho espiritual. Então, a consciência precisa imergir na luz azul que representa a Consciência Crística. Por último, precisa penetrar pela passagem estelar prateada rumo ao Espírito, nas regiões ilimitadas do Infinito. Essa luz dourada, azul e prateada contém todas as muralhas de raios – eletrônicos, atômicos e vitatrônicos da Vibração Cósmica, que temos de transpassar a fim de alcançar o céu.

Nesses estados mais elevados de meditação, o próprio corpo se torna espiritualizado, abrandando a tenacidade de sua composição atômica para revelar sua subjacente estrutura astral como força vital. A aura frequentemente retratada em torno dos santos não é fruto da imaginação, mas a luz divina interior inundando todo o ser. Pela meditação ainda mais profunda, o corpo astral se sutiliza num corpo causal de consciência. Então, como pura sabedoria, a consciência cau sal transcende as vibrações do Espírito Santo, imergindo na Consciência Crística, através da qual ascende à Consciência Cósmica, o seio de Deus-Pai.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 139.

Capítulo 6: O batismo de Jesus.