Contemplação dos opostos

Através desse exercício, seu espírito é purgado de toda sentimentalidade e ressentimento, infantis e inadequados, e sua mente é aberta à presença inescrutável, que existe não primariamente como “boa”ou “má” com relação à sua infantil conveniência humana, seu bem-estar e a sua aflição, mas sim como lei e imagem da natureza do ser.

Campbell, Joseph. O herói de mil faces. Pensamento, São Paulo, 2007, p. 116.