Assimilação de Correntes Mentais

(…) “O benfeitor espiritual que ora nos dirige (…) afigura-se-nos mais pesado, porque amorteceu o elevado tom vibratório em que respira habitualmente, descendo a posição de Raul, tanto quanto lhe é possível (…) Notamos que a cabeça venerável de Clementino passou a emitir raios fulgurantes, ao mesmo tempo que o cérebro de Silva, sobre os dedos do benfeitor, se nimbava de luminosidade intensa, embora diversa.

“O mentor desencarnado levantou a voz comovente, suplicando a benção divina com expressões que nos eram familiares, expressões essas que Silva transmitiu igualmente em alta voz, imprimindo-lhes diminutas variações.

(…) Fios de luz brilhante ligavam os componentes da mesa, dando-nos a perceber que a prece os reunia mais fortemente entre si.

“(…) Observei-lhe (Silva), então, todo o busto inclusive braços e mãos, sob vigorosa onda de força a eriçar-lhe a pele num fenômeno de doce excitação, como que “agradável calafrio”. Essa onda de força descansava sobre o plexo solar,  onde se transformava num luminoso estímulo, que se estendia pelos nervos até o cérebro, do qual se derramava pela boca, em forma de palavras.

Xavier, Francisco Cândido / André Luiz. Nos Domínios da Mediunidade. Federação Espírita Brasileira, Brasília, 1955, pp. 43-49.

 

Correntes Mentais

(…) ” A essa altura, diversas entidades do nosso plano colocaram-se junto dos médiuns que estariam de serviço. Clementino avançou em direção a Raul Silva, perto de quem se postou em muda reflexão.

…) “Dessa vez, os veículos físicos apareciam quais se fossem correntes eletromagnéticas em elevada tensão. O sistema nervoso, os núcleos glandulares e os plexos emitiam luminescência particular. E, justapondo-se o cérebro, a mente surgia como uma esfera de luz característica, oferecendo em cada companheiro determinado potencial de radiação.

Xavier, Francisco Cândido / André Luiz. Nos Domínios da Mediunidade. Federação Espírita Brasileira, Brasília, 1955, pp. 43-49.