Corrente do Bem

“Cada consciência bafejada pelo sol da razão será interpretada, assim, à conta de raio na esfera da vida, evolvendo da superfície para o centro, competindo-lhe a obrigação de respeitar e promover, facilitar e nutrir o bem comum, atitude espontânea que lhe valerá o auxilio natural de todos os que lhe recolhem a simpatia e a cooperação. Com semelhante atitude, cada Espírito plasma os reflexos de si de mesmo, por onde passa, abrindo-se aos reflexos das mentes mais elevadas que o impulsionam à contemplação de mais vastos horizontes do progresso e à adequada assimilação de mais altos valores da vida.

Desse modo, pela execução do dever – região moral de serviço em que somos constantemente alertados pela consciência – exteriorizamos a nossa melhor parte, recolhendo a melhor parte dos outros.”

Xavier, Francisco Cândido/ Emmanuel. Pensamento e Vida. Federação Espírita Brasileira, Brasília, 2016, p. 87-88.

Hábito e Melhoria de Vida

O hábito é uma esteira de reflexos mentais acumulados, operando constante indução à rotina.

Herdeiros de milênios, gastos na recapitulação de muitas experiências análogas entre si, vivemos, até agora, quase que à maneira de embarcações ao gosto da correnteza, no rio de hábitos aos quais nos ajustamos sem resistência.

Com naturais exceções, todos adquirimos o costume de consumir os pensamentos alheios pela reflexão automática, e, em razão disto, exageramos as nossas necessidades, apartando-nos da simplicidade com que nos seria fácil uma vida melhor, e formamos em torno delas todo um sistema defensivo à base de crueldade, com o qual ferimos o próximo, dilacerando consequentemente a nós mesmos.”

Xavier, Francisco Cândido / Emmanuel. Pensamento e Vida. Federação Espírita Brasileira, Brasília, 2016, p. 83.

A Disciplina a Favor do Êxito

– (…) Tanto entre os homens como entre nós, que ainda nos achamos longe da perfeição espiritual, o êxito do trabalho reclama experiência, horário, segurança e responsabilidade do servidor fiel aos compromissos assumidos. A Lei não pode menosprezar as linhas da lógica.

– E os médiuns? são invariavelmente os mesmos?

– Sim, contudo, em casos de impedimento justo, podem ser substituídos, embora nessas circunstâncias se verifiquem, inevitavelmente, pequenos prejuízos resultantes de natural desajuste.”

Xavier, Francisco Cândido / André Luiz. Nos Domínios da Mediunidade. Federação Espírita Brasileira, Brasília, 1955, Capítulo 17.

Disciplina e Hábito

(…) Trabalhar regularmente sobre algo até que isso trabalhe regularmente por você. Quando você se disciplina, está na verdade treinando para agir de um modo específico. Mantenha essa ação por certo tempo, e ela se tornará rotineira – em outras palavras, um hábito.

(…)O fato é que investir em disciplina focada no hábito certo lhe dar permissão para que seja menos disciplinado em outras áreas. Quando você faz a coisa certa, isso pode liberar-lo de ter que monitorar tudo.

(…) Os resultados sugerem que se leva uma média de 66 dias para se adquirir um novo hábito.

(…) Considerando que você seja aquilo que faz repetidamente, então a conquista não é apenas uma ação que você executa, mas sim um hábito que forja bem em sua vida.

Keller, Gary; Papasan, Jay. A única coisa. Novo Século Editora, Barueri, 2014, pp. 53-57.