Doutores da Lei (Escribas)

Doutores da Lei (escribas) – O grupo dos doutores da Lei vai adquirindo cada vez maior prestígio na sociedade do tempo. Seu grande poder reside no saber. Com efeito, são os intérpretes abalizados das Escrituras, e daí serem especialistas em direito, administração e educação. A influência deles é exercida principalmente em três lugares: Sinédrio, sinagoga e escola. No Sinédrio, eles se apresentam como juristas para aplicar a Lei em assuntos governamentais e em questões judiciárias. Na sinagoga, eles são os grandes intérpretes das Escrituras, criando a
tradição através da releitura, explicação e aplicação da Lei para os novos tempos. Abrem escolas e fazem novos discípulos. Embora não pertençam economicamente à classe mais abastada, os doutores da Lei gozam de posição estratégica sem igual. Monopolizando a interpretação das Escrituras, tornam-se guias espirituais do povo, determinando até mesmo as regras que dirigem o culto. Sua grande autoridade repousa sobre uma tradição esotérica: não ensinam tudo o que sabem, e escondem ao máximo a maneira como chegam a determinadas conclusões.”

Bíblia Sagrada. Edição Pastoral. Paulus Editora, 1990. Versão Kindle, Posição 56401.

Experiência no Campo Social

“Assim como a organização do homem físico exigira as mais amplas experiências da natureza, antes de se fixarem os seus caracteres biológicos definitivos, a lição de Jesus, que representa o roteiro seguro para a edificação do homem espiritual, deveria ser precedida pelas experiências mais vastas no campo social.”

“É por essa razão que observamos, nos cinco séculos anteriores à vinda do Cordeiro, uma aglomeração de númeras escolas políticas, religiosas e filosóficas dos mais diversos matizes, em todos os ambientes do mundo.”

“(…) o grande filósofo está aureolado pelas mais divinas claridades espirituais, no curso de todos os séculos planetários.”

Nota Pessoal: Emmanuel sobre Sócrates”

Xavier, Francisco Cândido / Emmanuel. A Caminho da Luz. Federação Espírita Brasileira, Brasília, 2016, p. 82-85.

Apoio dos Conterrâneos da Galileia

“Mudam-se as épocas, mas os homens se repetem, porque a Terra ainda é uma escola de educação primária, cuja turma aprovada no aprendizado do ABC e imediatamente substituída por outro contingente de almas analfabetas e, portanto, nas mesmas condições espirituais dos aprovados anteriormente. Aliás, o próprio Jesus queixou-se de “que ele viera para os seus e eles não o conheceram”, justificando perfeitamente o aforismo “santo de casa não faz milagres”, coisa que tornaria a acontecer hoje, caso ele retornasse à Terra para cumprir tarefas semelhantes.

(…)

Ele contrariava a própria tradição do aconchego íntimo do santuário, uma vez que pregava abertamente em público, junto aos montes, aos lagos, enfraquecendo o poder religioso e a força sacerdotal centralizados nos dogmas religiosos. A natureza era a sua única igreja, pois ele tanto pregava ao povo do cimo de uma colina, sob a fronde de uma árvore, à margem dos rios e dos lagos, como da popa de um barco de pesca. Os seus sermões eram claros, simples e sem mistérios, o que também não agradava aos sacerdotes que se sacudiam nos agitando a atmosfera das sinagogas com os berros de uma altiloquência deliberada sobre o público.”

RAMATÍS. O Sublime Peregrino. Obra psicografada por Hercílio Maes. São Paulo: Ed. Conhecimento, 2020, pág. 231-233.

 

Escola Baseada na Comunicação Não Violenta

” (…) Portanto, uma de nossas tarefas como pais e mães é mostrar aos nossos filhos como preservar sua humanidade, mesmo quando estão sendo expostos a autoridades que usam algum tipo de coerção.

Um de meus dias mais felizes como pai foi o primeiro dia do meu filho mais velho na escola do bairro. (…) uma escola baseada nos princípios da Comunicação Não Violenta. Lá esperava-se que as pessoas fizessem as coisas não pelas punições e recompensas, mas por perceberem a importância de sua contribuição para o próprio bem-estar e o dos outros, as avaliações eram em termos de necessidades e pedidos, não julgamentos. (…)”

ROSENBERG, Marshall. Criar Filhos Compassivamente: Maternagem e Paternagem na Perspectiva da Comunicação Não Violenta. São Paulo: Palas Athenas, 2020, pág. 37-38

História do Monte Carmelo

“Os Nazarenos, Nazaritas e Essênios haviam unido seus interesses quanto a um objetivo essencial, que foi citado por muitas autoridades das histórias sacras e por enciclopédias como um dos interesses comuns que ligavam entre si os Nazarenos, Nazaritas e Essênios. Tratava-se da manutenção de uma grande escola, universidade e mosteiro no Monte Carmelo. A introdução deste local histórico na vida de Jesus pode surpreender muitos de meus leitores, razão pela qual um breve resumo da história do Monte Carmelo será não só apropriado mas também valioso para os que desejem fazer maiores pesquisas neste campo.

Exatamente quando o Monte Carmelo se tornou um local secreto e sagrado para a manutenção de uma escola para místicos, isolada e protegida, pertencente à Grande Fraternidade Branca, não se sabe com certeza. (…)”

LEWIS, H. Spencer. A Vida Mística de Jesus. Curitiba, PR: AMORC, 2001, p.135.

Carta de Suporte

Meus queridos amigos, filhos do coração,

Eu escrevo essa breve carta para lembrá-los de que todos somos livres nos caminhos ascensionais que resolvemos trilhar, e não obstante aos planos da espiritualidade maior, das esferas mais elevadas, ainda assim, encontramos pela frente diversos obstáculos que hão de escalonar-se na mesma medida em que cresce a relevância do nosso trabalho e a luz que emana de nossa escola.

Nós não passaremos irrelevantes ou imperceptíveis, e isto por si só é razão para despertar a fúria de forças hábeis mas ainda ignorantes das verdades maiores.

Lembrem-se que todo inverno iniciático é precedido por esse tipo de aparente chateação. contudo, não olvideis os vossos olhos de contemplar mais amplos horizontes nas linhas da Infinita Sabedoria que em tudo sempre nos socorreu. O Alto é por nós! E coisa alguma há de nos reduzir ou roubar o lugar que nos cabe.

Vamos em frente e com coragem!

G. Uchôa

Está tudo bem chorar pelas desavenças e aliviar o coração diante da aspereza com que os contrastes da vida se apresentam, por vezes até revestidos de falácias e calúnias dolorosas.

Está tudo bem!

Está ainda melhor colher da dificuldade o seu fruto e renovar o sentir que nos coloca em sintonia. Fizeram isso aos que te precederam. Farão isso aos que te sucederem. Trabalhador algum fica sem a justa medida dos seus pagamentos em dia. Nosso patrão é justo e bom. Confie menino!

Olívia

 

Foi Belíssima Nossa Jornada Até Aqui

Pois é, meu caro viajante, viajor destemido, meu companheiro e mentor de tantas horas. Hoje nos vemos aqui, de papéis invertidos por assim dizer, laborando pelas pautas dos mesmos mestres. Modéstia à parte, foi belíssima nossa jornada até aqui, digna de filme mesmo. Mas, emprestando a grade de Campbell, eu diria que mal cruzamos o limiar do mundo comum, e que o melhor realmente ainda está por vir.

Os próximos três anos trarão consigo desertos, cavernas e iniciações profundas, sobretudo com o avanço das responsabilidades que nos cabem. A escola é apenas o primeiro passo, muitos outros ainda virão!

General