Empreendedorismo Exoconsciente!

” (…) todos os que se mantêm puros ante a onipresença de Deus sabem que, sem se libertar dos apegos corporais na consciência – para o que a renúncia exterior é uma ajuda, se não uma condição absoluta -, não há possibilidade alguma de possuir o Infinito. Embora Jesus tenha enfatizado a renúncia completa, ele também disse: “Amarás o teu próximo”, que significa trabalhar por todos – e isto, enquanto “amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração”.
A vida perfeita de Jesus, mesmo em tão tenra idade, manifesta com perfeição o comportamento de um filho divino consagrado a servir à humanidade. Sabendo ser um filho de Deus, ele declara abertamente que seu dever mais elevado é cuidar da questão celestial de difundir o reino de seu Pai Divino. (…) O mundo, agitado com suas constantes ocupações, pouco compreende, tal qual os pais de Jesus o foco supremo de quem sabe não haver obrigação maior do que o nosso dever para com Deus. (…) As obrigacões espirituais e materiais não deveriam ser contraditórias, assim complementares. Se uma contradição ocorre, essas obrigações estão incompletas e deveriam ser modificadas de forma que, em vez de competir uma contra o outra, trabalhem juntas – como dois cavalos puxando o carro da vida harmoniosa e uniformemente rumo a um objetivo feliz.

O homem comum considera o mundo, sua família e seu trabalho como sendo suas ocupações; mas o homem espiritual sabe que seus deveres (…) devem ser realizados como um serviço a Deus.

Os negócios devem ser espiritualizados; tudo deve ser feito preservando-se internamente a consciência de Deus. (…) Os negócios que estão em harmonia com as leis de Deus são de benefício duradouro para a humanidade. Empreendimentos lucrativos que visam apenas prover o luxo humano e as falsas ou más tendências estão destinados a ser destruídos pela operação da lei divina de sobrevivência do mais nobre. Qualquer negócio que prejudique o bem-estar espiritual dos demais não oferece um autêntico serviço e está condenado a ser extinto pela própria natureza de suas atividades. Uma vida bem-sucedida precisa iniciar pela cultura espiritual, pois todas as ações materiais e morais são governadas por leis espirituais.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 86-87.

Capítulo 4: A infância e a juventude de Jesus.

Forças da Natureza

Cala-te, aquieta-te.” Tão logo Jesus emitiu vibrações de paz –
consciência onipresente e a vontade onipotente de Deus que tinha dentro de si -, as forças da natureza, guiadas por Deus, seguiram imediatamente seu exemplo e se aquietaram,  imersasem vibrações de calma.

Todas as forças da natureza estão sujeitas ao poder que Deus conferiu à alma do homem.

(…) é evidente que a harmonia da natureza, o ciclo das estações, a precisão matemática da ordem planetária e o sustento da vida revelam a direção de uma lei inteligente e de um plano cósmico divino.

(…) sendo um mestre – não na imaginação, mas na percepção de sua unidade com o Espírito -, Jesus podia invocar a vontade de Deus manifestada em sua própria vontade a fim de controlar a violência da tempestade e a fúria das ondas.”

(…)

Quer um mestre ore por uma resposta específica de Deus, ou. em divina sintonia, deseje que se produza determinado efeito, ele ativa o poder de manifestação da vibração criadora de Deus. Muito antes de a ciência ocidental reconhecer a essência vibratória da matéria, os rishis da antiga Índia afirmavam que toda a gama de manifestações da natureza é uma objetivação de Om, o Som Primordial ou Verbo Vibratório. Eles demonstraram que todos os fenômenos naturais podem ser controlados ao manipular-se a vibração por meio de certos mantras ou cantos.

(…)

O homem foi feito para ser o senhor da natureza, e as forcas da natureza, por sua vez, trabalham unidas para servi-lo. O ser humano invalida seu domínio quando governa seu ambiente terreno de modo errôneo e egoísta. Ele guia a natureza – embora de maneira geral inconscientemente -, não apenas por meio de suas ações, mas também pela vibração de seus pensamentos.

(…)

Nas esferas celestiais do mundo astral é comum controlar a atmosfera e o estado de ser de uma pessoa. (Os seres astrais de níveis inferiores não possuem tal controle.) Nas regiões superiores, eles podem manipular as forças e imagens luminosas vitatrônicas de acordo com sua vontade.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. II. Editora Self, 2017, pág. 175-177.

Capítulo 38: “A tua fé te salvou” A tempestade, a doença, os demônios e a morte curvam-se diante da vontade de Jesus.

O Problema dos Dogmas

“(…) a libertação religiosa pregada por Kardec data apenas de um século. Muitas almas, ingressando no Espiritismo, ainda sentem certa dificuldade para se ajustarem completamente aos novos ditames espirituais da nova doutrina, pois a influência de quinze séculos de submissão dogmática à teologia sacerdotal de todos os povos, não pode ser dissipada em algumas dezenas de anos. Allan Kardec, o cérebro libertador da escravidão religiosa, ainda não foi integralmente compreendido em sua ousadia espiritual, quando enfrentou os dogmas seculares que ainda hipnotizam muitas almas temerosas da Verdade.

(…)

Não há mérito nem demérito em admitir ou recusar tal concepção, pois ante o tribunal de Justiça divina, “a cada um será dado conforme suas obras, e não segundo a sua crença.

(…)

Se Jesus exigisse um corpo fluídico, semelhante privilégio implica na a condenação do mecanismo da procriação, mediante a qual Deus proporciona o beneficio da vida humana no orbe.

A lei divina da preservação da espécie é um fenômeno tão sublime e digno de respeito como os demais fenômenos ou maravilhas do Universo. O seu aspecto deprimente em face do conceito humano é produto exclusivamente da mentalidade animalesca do próprio homem, que subverte a ordem natural de uma técnica criadora em atos condenáveis de lubricidade.”

RAMATÍS. O Sublime Peregrino. Obra psicografada por Hercílio Maes. São Paulo: Ed. Conhecimento, 2020, pág. 84-85.

Diferença Entre Transferência de Poder e a de Autoridade

É Interessante ressaltar que a transferência de poder e a de autoridade constituem dois atos distintos. Neste caso, o poder não significa autoridade ou privilégio. O poder de curar e o poder sobre espíritos impuros referem-se a um processo divino definido que aplica princípios e leis divinas a condições materiais, físicas ou espirituais no homem e ao seu redor. Os discípulos tiveram de ser preparados para receber este poder, para que pudessem compreende-lo e usá-lo inteligentemente. Não se tratava de mera fórmula de encantamento, de algum pro cesso de necromancia, de magia negra ou magia branca, como os pagãos haviam usado.

(…)

Consistia do conhecimento que os prepararia, depois de dias, semanas e meses de oração e meditação, que os purgaria e os tornaria receptáculos adequados e canais apropriados para o influxo e efluxo de um princípio divino que se manifestava como um poder singular e santo para fazer certas coisas.”

LEWIS, H. Spencer. As Doutrinas Secretas de Jesus. Rio de Janeiro: Biblioteca Rosacruz, V. II, Ed. Renes, 1983, p. 110.

Arquivos Secretos em Posse da Santa Igreja Católica

“Contudo, é provável que nos arquivos mais secretos da Santa Igreja Católica estejam atualmente preservados esses grandes mistérios e as leis que possibilitam aos altamente espiritualizados demonstrá-los e torná-los manifestos. Na verdade, alguns desses mistérios, utilizando leis naturais e divinas em suas manifestações, têm sido aplicados nos últimos séculos pelos mais altos dignitários eclesiásticos do círculo mais íntimo da Santa Igreja Romana e se encontram à disposição de muitos dos seus cardeais e trabalha dores especiais.

LEWIS, H. Spencer. As Doutrinas Secretas de Jesus. Rio de Janeiro: Biblioteca Rosacruz, V. II, Ed. Renes, 1983, p. 73.

Dever e Necessidade

“O dever define a submissão que nos cabe a certos princípios estabelecidos como leis pela Sabedoria divina, para o desenvolvimento de nossas faculdades.

Para viver em segurança, ninguém desprezará a disciplina.

Obedecem as partículas elementares no mundo atômico, obedece a constelação na glória da imensidade.

O homem viajará pelo firmamento, a longas distâncias do lar em que se lhe vincula o corpo físico; no entanto, não logrará fazê-lo sem obediência aos princípios que vigem para os movimentos da máquina que o transporta.

Dessa forma, simbolizar o dever como sendo a faixa de ação no bem que o supremo Senhor nos traça à responsabilidade, para a sustentação da ordem e da evolução em sua obra divina, no encalço de nosso próprio aperfeiçoamento.

Xavier, Francisco Cândido / Emmanuel. Pensamento e Vida. Federação Espírita Brasileira, Brasília, 2016, p. 87.

Fé e Respeito no Alcance da Cura

“(…) começamos a reparar que alguns enfermos não alcançavam a mais leve melhoria.

As irradiações magnéticas não lhes penetravam o veículo orgânico.

(…)

– Falta-lhes o estado de confiança – esclareceu o orientador.

(…)

No terreno das vantagens espirituais, é imprescindível que o candidato apresente uma certa “tensão favorável”. Essa tensão decorre da fé. Certo, não nos reportamos ao fanatismo religioso ou à cegueira da ignorância, mas sim à atitude de segurança íntima, com reverência e submissão, diante das Leis Divinas, em cuja sabedoria e amor procuramos arrimo. Sem recolhimento e respeito na receptividade, não conseguimos fixar os recursos imponderáveis que funcionam em nosso favor, porque o escárnio e a dureza de coração podem ser comparados a espessas camadas do gelo sobre o templo da alma.”

Xavier, Francisco Cândido / André Luiz. Nos Domínios da Mediunidade. Federação Espírita Brasileira, Brasília, 1955, Capítulo 17.

Identidade e Sentido

Nem sempre os seus dias serão pacíficos e tranquilos haja vista que movimento é um imperativo da ação daqueles que se propõe a realizar e trazer para a superfície do planeta novos dias, de um novo tempo, de uma Nova Era.

Eu tenho estado presente em todos os momentos. Sei das tuas angústias e das tuas aflições e, muito mais do que isso, acompanho também a evolução de sua disposição renovada em empreender segundo os conceitos do nosso mestre, tão carinhosamente transmitidos a este que vos fala, nos limites da fazenda de Alexânia.

Haja, meu filho, em ti, força intelectual e disposição moral para não esvanecer diante dos desafios que o propósito traz, pois aquele que conhece a direção do seus passos no caminho é ousado e irrefreável como uma pedra que se despenca num desfiladeiro: nada pode detê-la, nada pode segurá-la, porque a sua natureza é combinada com a força da gravidade com os fluxos das leis naturais, de  maneira que o seu caminho possui um fluxo de força tremenda ao qual nada pode se opor. Harmonize a tua natureza aos fluxos da lei divina e perceba emanar de dentro de si a força do propósito, do sentido…

Identidade e sentido! Estes são verdadeiramente as grandes metas do projeto do Círculo na dimensão tridimensional: levar as pessoas a compreender e viver segundo tal compreensão.

Sugiro ainda que nós nos dediquemos juntos a esta modalidade onde eu posso falar através de você de maneira que você mantém a consciência e o controle motor dos teus atos mas o controle partilhado da suas cordas vocálicas esteja sempre a disposição. Isto fará com que nós aumentemos a nossa capacidade de comunicação, o que será tão necessária no futuro próximo.

Sempre me despeço com o carinho daquele que encontrar um amigo de tanto tempo, um irmão de jornada, um filho querido neste momento do projeto, mas também um pai amado que soube outrora, com sua sabedoria, me conduzir pelos caminhos da fé.

Avancemos sempre meu caro Major.

General Uchôa

Nota: Fiz um teste de permitir que ele utilizasse a psicofonia, e liguei o microfone do iMac com ditado. Depois apenas revisei e pontuei o texto. A modalidade pareceu ser útil, o fluxo irresistível, a complexidade das ideias bem além da minha velocidade de elaboração. Ele ainda ressalta que o treino seria útil para nós dois.