A catedral interior

Em meditação | Dia XIV

Em meu mergulho de hoje, me vi em uma catedral gótica de colunas muito altas e teto arqueado. Me sinto bem com a luz que penetrava e conferia ao local uma atmosfera transcendente.

Começo a caminha e vejo que os episódios da minha vida estão retratados nos vitrais da catedral, e por todas essas experiências fluía para dentro de mim a luz exterior. Experiências felizes, místicas e dolorosas estampavam os vitrais, mas a luz que por elas inundava o interior da catedral era sempre a mesma.

Chego ao altar no centro e me encontro com o mestre. Duas cadeiras haviam, uma para mim e outra para ele. Sentamos juntos e contemplamos os detalhes desse edifício interior.

– O que você acha? – me perguntou.

– Eu amo cada um desses momentos porque todos eles me trouxeram até aqui, de volta a você. Mas pela luz os transpassa, hoje posso te conhecer melhor do que antes, te amar mais do que antes e te seguir mais do que antes.

Olho para a assembleia e centenas de pessoas aplaudem a história estampada nos vitrais do templo.

– Durante o dia espiritual, a luz do céu deve fluir para o seu interior através da sua história. Durante a noite espiritual, a luz do seu interior deve fluir para o mundo através da sua história. A sua história é o portal da manifestação da luz no tempo e no espaço.

Publicado por

Juliano Pozati

Strengths coach, Escritor, Espiritualista e empreendedor. Membro do Conselho do The Institute for Exoconsciousness (EUA). Meio hippie, meio bruxo, meio doido. Pai do Lorenzo e fundador do Círculo. Bacharel em Marketing, expert em estratégia militar, licenciando em filosofia. Empreendedor inquieto pela própria natureza. Seu fluxo é a realização!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.