Deles é o Reino dos Céus

“O reino da Consciência Cósmica pertence ao Rei da Bem-aventurança Celestial e às almas elevadas que Nele imergem. Daí se dizer dos devotos que unem seu ego a Deus, tornando-se unos com o Rei do Universo: “Deles é o reino dos céus“.

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 491.

Capítulo 26: As Beatitudes. O Sermão da Montanha, Parte I.

Persistência e Autocontrole

“A bem-aventurança de Deus visitará as almas que suportam com equanimidade, por fazerem o que é correto, a tortura da crítica injusta dos falsos amigos, e também dos inimigos, e que permanecem livres da influência dos maus costumes ou hábitos prejudiciais da sociedade. (…) A retidão moral traz a zombaria de curto prazo mas regozijo a longo prazo, pois a persistência no autocontrole produz bem-aventurança e perfeição.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 490.

Capítulo 26: As Beatitudes. O Sermão da Montanha, Parte I.

Intelectualidade e Sabedoria

“A intelectualidade é um atributo do poder da razão, e a sabedoria é uma qualidade libertadora da alma. Quando a razão é purificada por meio de um tranquilo discernimento, ela se transforma em sabedoria.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 488.

Capítulo 26: As Beatitudes. O Sermão da Montanha, Parte I.

Contemplando Deus

“Deus é percebido com a visão da alma. Em seu estado natural, toda alma é onisciente, contemplando diretamente a Deus ou a Verdade por meio da intuição.

O restabelecimento da perdida clareza da visão divina é o significado dessa Bem-aventurança.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 487.

Capítulo 26: As Beatitudes. O Sermão da Montanha, Parte I.

Enfermidades e Poder Mental

“A doença consiste numa condição desarmônica que produz dor ou infelicidade num ser vivo, seja de modo imediato ou tardio. Os seres humanos estão sujeitos a três tipos de enfermidade: aquelas que afetam o corpo, as que afetam a mente e aquela que afeta a alma.

(…)

A dor física não traz sofrimento mental se a mente é poderosa; os mártires, com a mente fixa em sua devoção a Deus, mantiveram sua serenidade interior mesmo enquanto eram queimados vivos.

(…)

Jesus conhecia a relação causal entre a mente e o corpo e entre a alma e Deus. Desse modo, ele era capaz de controlar a estrutura atômica das células e harmonizar as perturbações psicológicas, restaurando assim qualquer corpo ou mente doentes.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 456-457.

Capítulo 25: A cura dos doentes.

Sintonia com a Vibração Cósmica

“Jesus diz a seus discípulos adiantados que eles devem utilizar a sintonia com a Vibração C´ósmica do Espírito Santo e a sabedoria nela inerente- não o ego com suas limitações – para orientação geral sobre qual conduta seguir em momentos críticos. (…) As almas adiantadas guiam sua inteligência, seu livre-arbítrio e suas palavras pela sabedoria do Espírito Santo.

(…)

A razão baseia-se na experiência sensorial e é por ela limitada. Se a experiência sensorial é interpretada de modo incorreto, a conclusão também resulta equivocada. Uma pessoa que vê uma nuvem de pó levada pelo vento numa colina distante pode pensar que a colina esteja em chamas e emanando uma nuvem de fumaça. O raciocínio que de pende dos sentidos, resultante da observação imediata ou da memória condicionada por repetidas experiências do passado, pode errar se a observação ou experiência sensorial é imperfeita ou incompleta.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol II. Editora Self, 2017, pág. 241-242.

Capítulo 41: Conselhos de Jesus aos que pregan a palavra de Deus (Parte II).

Sabedoria e Paz da Alma

“Jesus queria que seus discípulos estabelecessem um exemplo diferente, a fim de demonstrar aos seres humanos habitualmente beligerantes que o poderio da invencível sabedoria e paz da alma desperta pela meditação é mais forte do que as mais potentes forças do mal.”

(…)

“Quando pois vos conduzirem para vos entregarem, não estejais solícitos de antemão pelo que haveis de dizer; mas, o que vos for dado naquela hora, isso falai; porque não sois vós os que falais, mas o Espírito Santo” (Marcos 13:11).”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol II. Editora Self, 2017, pág. 240-241.

Capítulo 41: Conselhos de Jesus aos que pregan a palavra de Deus (Parte II).

Astralocutadas

“Aqueles que cultivaram muitas virtudes desfrutam o resultado de seu bom karma em planetas celestiais do plano astral onde não existem as limitações da vida na Terra. A maioria das almas- que não são categoricamente boas nem más -, depois de dormirem o pacífico sono inconsciente da morte com experiências ocasionais de vigília astral, despertam no ventre de sua nova mãe terrena.

Apenas as almas que, por meio da meditação, são capazes de con trolar as funções da energia vital do coração e da respiração, permanecendo absorvidas no constante êxtase da consciência divina durante sua vida terrena, podem continuar ininterruptamente conscientes durante a transição da morte e também no mundo astral.

(…)

Os peixes não podem viver por muito tempo fora da água; similarmente, as almas perdidas, os espíritos impuros, precisam permanecer nos planetas de vibrações astrais grosseiras, enquanto que as almas mais refinadas residem em planetas luminosos de vibrações sutis. Se as almas perdidas ousassem se aproximar dessas regiões mais sutis, levariam um choque – ou seriam “astralocutadas” – pela elevada voltagem da energia astral.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 442.

Capítulo 24: A expulsão de demônios.

Como Embaixo é Em Cima

“Por que se surpreender que esses maus espíritos desencarnados habitem o outro lado da existência quando mesmo neste lado da vida existem demônios e pessoas demoníacas? Se as almas são imortais, então, de acordo com a lei de causa e efeito, é lógico esperar que, quando uma pessoa demoníaca abandona o tumulto mortal e passa para a vida futura pelo portal da transformação física denominada “morte”, ela não se torne um anjo, mas continue a ser um demônio.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 441.

Capítulo 24: A expulsão de demônios.

Almas Perdidas

“Os habitantes do mundo astral vestem corpos feitos de energia e luz e estão confinados a esferas astrais superiores ou inferiores, de acordo com seu karma. Existem, entretanto, alguns seres astrais co nhecidos como “almas perdidas”. Essas almas estão presas à Terra por causa de fortes impulsos e apegos materiais, e vagueiam no éter, desejosas de entrar novamente numa forma física para satisfazer sua necessidade de gratificação sensorial.(…)  há ocasiões em que as almas perdidas tomam posse do corpo e da mente de alguém, mas apenas de pessoas vulneráveis, mentalmente instáveis ou que enfraqueceram a mente mantendo-a com frequência em branco ou sem pensamentos. Devido a esse vazio mental e à atração cármica, elas involuntariamente convidam espíritos errantes a entrar em seu corpo.

Demônios imundos, citados nos casos de possessão que Jesus exorcizou, são os entes astrais, entre as almas perdidas, que na Terra foram assassinos, ladrões ou outros criminosos, beberrões, devassos, e especialmente as pessoas corruptas e traiçoeiras que não se purifica ram de suas más propensões antes da morte. (…) Elas vagueiam por esferas astrais inferiores, aprisionadas em seus corpos astral e causal, sem encontrar descanso, abominando a ideia de renascer na Terra ou lamentando a perda de sua encarnação física. Essas almas desoladas têm de vagar pelo éter até que, pela operação da lei divina, se esgotem alguns dos efeitos cármicos de suas más ações. Os espíritos demoníacos que estão entre essas almas são muito inescrupulosos, assim como eram na vida terrena.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 440.

Capítulo 24: A expulsão de demônios.