Medicação do Futuro

“A medicação básica do futuro será constituída de raios, cuja na tureza vibratória é mais compatível com a natureza molecular atômica do corpo humano. Raios curativos podem atuar nos distúrbios atômicos das células, no caso de doenças crônicas. Há também muita energia curativa nos raios do sol, embora os efeitos prejudiciais da exposição excessiva devam ser evitados.”*

*Nota: A potência biológica de padrões ondulatórios específicos de energia vibratória sobre as células corporais foi “decisivamente demonstrada” pelo Dr. Jacques Benveniste, diretor de pesquisas do Instituto Nacional de Saúde e Pesquisa Médica, da França, de acordo com a jornalista Lynne McTaggart em The Field: The Quest for the Secret Force of the Universe (Nova York: Harper Collins, 2002) [O campo: em busca da força secreta do universo (Ed. Rocco)].

“Tanto as moléculas quanto as ligações químicas entre elas emitem certas frequências específicas que podem ser detectadas a bilhões de anos luz de distância por meio dos telescópios modernos mais sensíveis”, relata Mc Taggart. “Essas frequências há muito tempo já são reconhecidas pelos físicos. (…) A contribuição de Benveniste foi demonstrar que as moléculas e átomos tinham sua própria frequência específica utilizando a tecnologia moderna tanto para registrar essa frequência quanto para usar o próprio registro na comunicação celular. (…)

“Em mais de mil experiências, Benveniste e Guillonet registraram no computador a atividade de uma molécula e reproduziram o sinal em um sistema biológico habitualmente sensível a essa substância. Em todas as ocasiões o sistema biológico foi enganado: acreditou que interagia com a própria substância e agiu de modo cor respondente, iniciando as reações biológicas em cadeia, assim como faria na efetiva presença da molécula genuína. (…)

“Na mais dramática talvez de suas experiências, Benveniste demonstrou que o sinal poderia ser enviado através do mundo por e-mail ou em CD. Colegas seus na Northwestern University de Chicago gravaram sinais da albumina do ovo, acetilcolina, dextran e água” e os enviaram em CD ou por e-mail ao laboratório de Benveniste em Paris, onde os pesquisadores “expuseram a água comum aos sinais dessa albumina digital ou acetilcolina ou água e infundiram tanto a água exposta como água comum nos corações isolados de cobaias. Todas as amostras de água digitalizada produziram mudanças muito significativas no fluxo coronariano. (…) Os efeitos da água digitalizada foram idênticos aos produzidos no coração pelas próprias substâncias.” (Nota da Editora)

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 461.

Capítulo 25: A cura dos doentes.

Enfermidades e Poder Mental

“A doença consiste numa condição desarmônica que produz dor ou infelicidade num ser vivo, seja de modo imediato ou tardio. Os seres humanos estão sujeitos a três tipos de enfermidade: aquelas que afetam o corpo, as que afetam a mente e aquela que afeta a alma.

(…)

A dor física não traz sofrimento mental se a mente é poderosa; os mártires, com a mente fixa em sua devoção a Deus, mantiveram sua serenidade interior mesmo enquanto eram queimados vivos.

(…)

Jesus conhecia a relação causal entre a mente e o corpo e entre a alma e Deus. Desse modo, ele era capaz de controlar a estrutura atômica das células e harmonizar as perturbações psicológicas, restaurando assim qualquer corpo ou mente doentes.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 456-457.

Capítulo 25: A cura dos doentes.

O Prana

“A energia vital inteligente do corpo é o prana, vitátrons derivando das funções doadoras de vida do corpo astral. A diferença entre as formas materialmente ativas de energia (eletricidade, luz, calor, magnetismo) e a energia vital (prana) é que as primeiras são meramente forças mecânicas, ao passo que a última, sendo vitatrônica, possui uma inteligência divina inerente.

(…)

Não é pecado viver segundo o padrão evolutivo da ingestão de alimentos; mas acreditar somente nos meios materiais para o sustento da vida é uma ilusão.

(…)

Deus condensou engenhosamente Sua consciência em vitátrons, os vitátrons em elétrons e prótons, estas partículas subatômicas em átomos, e os átomos em moléculas e células – todos vivendo das radiações provenientes da Fonte Cósmica. Um ator numa tela de cinema parece muito real; mas ele não passa de radiação dividida em luzes e sombras emanando da cabine de projeção. O homem deve perceber a natureza etérea de seu ser – é composto de luz e consciência, é divino e indestrutível, sendo projetado na tela do tempo e do espaço pelo Feixe Cósmico criador de Deus.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 181-182.

Capítulo 8: A Tentação de Jesus no deserto.

Corpo Físico e Corpo Astral

O corpo físico, com o qual o homem se identifica de maneira tão afeiçoada e tenaz, é basicamente matéria inerte, um torrão de minerais da terra e elementos químicos compostos de átomos densos. O corpo físico recebe todos os seus poderes, e toda a energia que lhe confere vida, de um radiante corpo astral interior feito de “vitátrons”. O corpo astral, por sua vez, é ativado por um corpo causal de pura consciência, que consiste de todos os princípios ideativos que estruturam e mantêm os instrumentos dos corpos astral e físico, utilizados pela alma para interagir com a criação de Deus*. Os três corpos estão interligados e atuam como um só por meio de nós de força vital e consciência nos sete centros espirituais no eixo cerebrospinal: um instrumento corporal físico, ativado pela força vital (…)”

*Nota: O corpo causal, a matriz ideativa para os corpos astral e físico, compõe-se de 35 elementos ideativos, 19 dos quais constituem o corpo astral e 16 deles correspondem aos elementos químicos do corpo físico. As escrituras hindus identificam os 19 ele mentos do corpo astral como: inteligência; ego; sentimento; mente (consciência dos sentidos); 5 instrumentos de conhecimento (poderes sensórios nos órgãos físicos da visão, audição, olfato, paladar e tato); 5 instrumentos de ação (as capacidades exe cutivas nos instrumentos físicos de procriação, excreção, fala, locomoção e exercício da habilidade manual); e 5 instrumentos de força vital, que realizam as funções de circulação, metabolização, assimilação, cristalização e eliminação.

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 131.

Capítulo 6: O batismo de Jesus.

Preâmbulo – Trechos Importantes

“Esta obra prende-se a algumas lembranças do contato que tivemos com Jesus de Nazaré, na Palestina, e de indagações que fizemos a alguns dos seus próprios discípulos naquela época, e a outros, aqui no Espaço.(…) pudemos revivê-los recorrendo aos arquivos ou “registros etéricos”, fruto das vibrações das ondas de luz, ao Éter ou “Akasha” dos orientais, que fotografa desde o vibrar de um átomo até a composição de uma galáxia*.

[*] “Conforme não mais ignoram os estudiosos e pensadores do Espiritismo, as poderosas sensibilidades etéricas, as ondas luminosas disseminadas pelo Universo, o fluido universal, enfim, sede da Criação, veículo da Vida, possui a prodigiosa capacidade de fotografar e arquivar em suas indescritíveis essências os acontecimentos desenrolados sob a luz do Sol, na Terra, ou pela vastidão do Infinito”. Trecho extraído da p. 56, da obra Dramas da Obsessão, de Yvonne A Pereira, editada pela Federação Espírita Brasileira.”

(…)

Não defendemos “tese” nem pretendemos firmar pontos doutrinários nos relatos sobre O Sublime Peregrino; tentamos apenas revelar-vos algumas atitudes e estados de espírito do Mestre Jesus, que se ajustam realmente à sua elevada contextura espiritual. (…) Em verdade, todos nós descobrimos, dia a dia, que ainda sabemos muito pouco sobre a natureza sideral de Jesus, e, possivelmente, só depois de alguns milênios poderemos conhecê-la em sua plenitude.

(…)

A tradição mitológica costuma sempre descrever o nascimento dos grandes iniciados ou avatares destinados a desempenharem relevantes missões sociais ou espirituais, como provindos de virgens e sob misterioso esponsalício estranho à ordem natural do sexo e da gestação Crisna, Lao-Tse, Zoroastro, Buda, Salivahana e outros instrutores espirituais nasceram de virgens e através de fenômenos ou processos extraterrenos.

(…)

A consumação do seu holocausto na cruz foi o coroamento messiânico e a confirmação inconfundível de toda sua doutrina recomendada à humanidade e sem derrogar as leis do mundo material, pois os seus próprios “milagres” nada tinham de sobrenaturais, mas podiam ser facilmente explicáveis pelas leis da física transcendental com relação aos fenômenos mediúnicos hoje conhecidos.

(…)

O Mestre mobilizava todos os recursos possíveis para evitar sua desencarnação prematura, cujo corpo de carne se ressentia do potencial elevado das vibrações emitidas pelo seu Espirito angélico. (…) O ritmo do metabolismo de sua vida espiritual ultrapassava o limite áurico de toda a humanidade terráquea, e os seus raciocínios transbordavam fora do tempo e do espaço, exaurindo-lhe o cérebro.

No seu hercúleo esforço para situar-se a contento, na carne, Jesus assemelhava-se a um raio de sol tentando acomodar-se numa vasilha de barro.

(…)

Malgrado o terrícola ainda não possuir sensibilidade moral apurada, em condições de avaliar o imenso sacrifício e abnegação despendidos por Jesus para descer aos charcos do vosso mundo, são bem menores as lutas, angustias e os tormentos do pecador, no sentido de purificar-se até subir as esferas da angelitude, ante o martírio do anjo que renuncia às venturas celestiais dos mundos divinos, para descer ao abismo pantanoso dos mundos materiais, como sucedeu a Jesus.

É bem mais fácil e cômodo despojarmo-nos dos trajes enlameados e tomarmos um banho refrescante, do que vestirmos roupas pesadas e descermos a um fosso de Todo repulsivo e infeccionado, onde se debatem criaturas necessitadas de nosso auxílio.”

Paz e Amor.

Ramatis

RAMATÍS. O Sublime Peregrino. Obra psicografada por Hercílio Maes. São Paulo: Ed. Conhecimento, 2020, pág. 11-15.

Estudo em Nível Hiperespacial

“Todavia, cumpria dizer que seria necessário ao homem penetrar o estudo da Hiperfísica, em cujo âmbito haveria que estudar os campos energéticos vigentes no Hiperespaço, os representariam, em última análise, como uma sutilização, um refinamento dos campos já em estudo e em relativo domínio pela ciência humana: os campos gravitacional, eletromagnética e inter-atômico. Seria de grande necessidade, particularmente, ter condições de estudar, em nível hiperespacial, a Luz nesse Hiperespaço, em que ela se propaga não a 300.000 km/seg., mas a trilhões e trilhões km/seg. ou melhor, anos luz/seg. do nosso espaço.”

UCHÔA, Alfredo Moacyr. Mergulho no Hiperespaço. Dimensões Esotéricas na Pesquisa dos Discos Voadores. Brasília, 1976, pág.104.

Segredos da Matéria

“Dessa forma, dentro da relatividade da possível conjunção do mesmo interesse nosso e de vocês, poderemos, dentro de breve futuro, como fruto de uma colaboração sem alarde, silenciosa, bem medida, atingir e expressar um conhecimento mais profundo, em decorrência de sérias pesquisas e de muito alto nível, na investigação dos segredos da matéria e dos campos energéticos. Sabemos quanto essa investigação continua insistentemente torturando as maiores mentalidades entre vocês humanos, voltadas para o extraordinário dinamismo dessa busca, visando às bases da Física, da Química e da Biologia. E a propósito diremos, confirmando o que alguns entre vocês já pressentiram, que, na interioridade do mundo atômico, no domínio do conhecimento mais perfeito da estrutura da matéria, envolvendo a natureza e propriedade dos campos interatômicos, se abriga, por estranho que pareça, o segredo do conhecimento último dos campos gravitacional e eletromagnético, que o humano já conhece em parte e acuradamente investiga, bem assim de outros que desconhece e, de que, talvez, ainda nem suspeite.

UCHÔA, Alfredo Moacyr. Mergulho no Hiperespaço. Dimensões Esotéricas na Pesquisa dos Discos Voadores. Brasília, 1976, pág. 80-81.

Éteres mais Sutis

“Dentro da presente ordem de ideias, mui provavelmente ainda no próprio mundo físico, outros e mais sutis éteres se sucedem, quem sabe, provando e justificando, afinal, as afirmações do conhecimento esotérico, quando diz que, além desse primeiro éter espacial de que falamos e do segundo hiperéter ou superéter espacial que já inferimos em decorrência de fatos, dois outros níveis ainda existem na própria substância essencialmente física, os quais correspondem aos estados subatômico e atômico da condição física da matéria devendo evitar-se qualquer relação com os conceitos de átomo e de partículas elementares de sua estrutura, segundo a ciência atual.”

UCHÔA, Alfredo Moacyr. Mergulho no Hiperespaço. Dimensões Esotéricas na Pesquisa dos Discos Voadores. Brasília, 1976, pág. 78.

O Éter Permeia toda a Matéria

“Admitindo a natureza etérica do espaço, é de aceitar-se que esse éter espacial penetra ou permeia toda a matéria segundo a conceituamos, desde o hidrogênio aos elementos pesados da hierarquia conhecida dos pesos atômicos progressivos até o urânio etc… Daí, inferindo o hiperespaço, como dissemos um espaço menos denso, mais sutil, seria ele capaz de penetrar por sua vez e permear o próprio éter espacial. Dada a natureza dos fenômenos expressamente físicos do âmbito parapsicológico e ufológico que lhes sugerem a existência, não haverá como deixar de atribuir a esse hiperespaço, à essencialidade física de sua natureza, uma condição hiperfísica, se limitarmos o conceito de “físico” ao espaço, aceitando haver um superéter a constituir-lhe o “substratum” existencial.”

UCHÔA, Alfredo Moacyr. Mergulho no Hiperespaço. Dimensões Esotéricas na Pesquisa dos Discos Voadores. Brasília, 1976, pág. 76-77.

Transformação da Matéria

“É que, dominando as Mecânicas Quântica e Ondulatória o que se passaria na infra estrutura atômica, é na atualidade conceituação pacífica ser o elétron corpúsculo e onda, o que significa ou melhor significará admitir-se como plenamente científico ser, em última análise, a matéria corpúsculo e onda. Ora, sabemos que o elétron possui carga elétrica e massa, expressando condição de básico elemento de estrutura íntima e última da matéria. Na verdade, o seu comportamento, em órbita ditada pelo “Quanta” de Energia, e, em razão desse próprio “Quanta”, às vezes saltando para outras órbitas, conjugando-se com tantos outros, sob a mesma lei, dita as mutações da própria matéria conhecida, transformando-se um elemento químico em um outro.”

UCHÔA, Alfredo Moacyr. Mergulho no Hiperespaço. Dimensões Esotéricas na Pesquisa dos Discos Voadores. Brasília, 1976, pág. 75.