Medicação do Futuro

“A medicação básica do futuro será constituída de raios, cuja na tureza vibratória é mais compatível com a natureza molecular atômica do corpo humano. Raios curativos podem atuar nos distúrbios atômicos das células, no caso de doenças crônicas. Há também muita energia curativa nos raios do sol, embora os efeitos prejudiciais da exposição excessiva devam ser evitados.”*

*Nota: A potência biológica de padrões ondulatórios específicos de energia vibratória sobre as células corporais foi “decisivamente demonstrada” pelo Dr. Jacques Benveniste, diretor de pesquisas do Instituto Nacional de Saúde e Pesquisa Médica, da França, de acordo com a jornalista Lynne McTaggart em The Field: The Quest for the Secret Force of the Universe (Nova York: Harper Collins, 2002) [O campo: em busca da força secreta do universo (Ed. Rocco)].

“Tanto as moléculas quanto as ligações químicas entre elas emitem certas frequências específicas que podem ser detectadas a bilhões de anos luz de distância por meio dos telescópios modernos mais sensíveis”, relata Mc Taggart. “Essas frequências há muito tempo já são reconhecidas pelos físicos. (…) A contribuição de Benveniste foi demonstrar que as moléculas e átomos tinham sua própria frequência específica utilizando a tecnologia moderna tanto para registrar essa frequência quanto para usar o próprio registro na comunicação celular. (…)

“Em mais de mil experiências, Benveniste e Guillonet registraram no computador a atividade de uma molécula e reproduziram o sinal em um sistema biológico habitualmente sensível a essa substância. Em todas as ocasiões o sistema biológico foi enganado: acreditou que interagia com a própria substância e agiu de modo cor respondente, iniciando as reações biológicas em cadeia, assim como faria na efetiva presença da molécula genuína. (…)

“Na mais dramática talvez de suas experiências, Benveniste demonstrou que o sinal poderia ser enviado através do mundo por e-mail ou em CD. Colegas seus na Northwestern University de Chicago gravaram sinais da albumina do ovo, acetilcolina, dextran e água” e os enviaram em CD ou por e-mail ao laboratório de Benveniste em Paris, onde os pesquisadores “expuseram a água comum aos sinais dessa albumina digital ou acetilcolina ou água e infundiram tanto a água exposta como água comum nos corações isolados de cobaias. Todas as amostras de água digitalizada produziram mudanças muito significativas no fluxo coronariano. (…) Os efeitos da água digitalizada foram idênticos aos produzidos no coração pelas próprias substâncias.” (Nota da Editora)

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. I. Editora Self, 2017, pág. 461.

Capítulo 25: A cura dos doentes.

Publicado por

Juliano Pozati

Strengths coach, Escritor, Espiritualista e empreendedor. Membro do Conselho do The Institute for Exoconsciousness (EUA). Meio hippie, meio bruxo, meio doido. Pai do Lorenzo e fundador do Círculo. Bacharel em Marketing, expert em estratégia militar, licenciando em filosofia. Empreendedor inquieto pela própria natureza. Seu fluxo é a realização!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.