Uno

As personagens simbólicas que comparecem essas histórias correspondem importância – e não raro em características e façanhas – às personagens das iconografias mais sofisticadas, e o mundo maravilhoso em que se movem é precisamente o mundo das grandes revelações: O mundo e a época que se encontra entre o sono profundo e a consciência desperta, a zona em que o Uno se torna o múltiplo e os muitos se reconciliam com o Uno.

Campbell, Joseph. O herói de mil faces. Pensamento, São Paulo, 2007, p. 285.

O mistério último

O mito é a revelação de uma plenitude de silêncio no interior e em torno de todo o átomo de existência; é algo que dirige a mente o coração, por meio de figurações cuja forma vem do plano profundo, para aquele mistério último que preenche e cerca todas as existências. Mesmo no mais cômico e aparentemente frívolo de seus momentos, a mitologia dirije a mente para esse imanifesto, que se acha precisamente além do olho.

Campbell, Joseph. O herói de mil faces. Pensamento, São Paulo, 2007, p. 263.