Estudo Iconográfico

“Este estudo iconográfico permite pensar que deve ter havido uma razão de peso para que os artistas tivessem aberto mão da sua liberdade criativa para adotar um modelo invariável. E a melhor explicação parece ser a de que, pelo menos a partir do séc. VII, o rosto do homem do Sudário foi conhecido e atentamente observado pelos pintores, como sendo o de Cristo segundo a tradição,”

ESPINOSA, Jaime. O Santo Sudário. São Paulo: Quadrante, 2017, pág. 13.

Publicado por

Juliano Pozati

Strengths coach, Escritor, Espiritualista e empreendedor. Membro do Conselho do The Institute for Exoconsciousness (EUA). Meio hippie, meio bruxo, meio doido. Pai do Lorenzo e fundador do Círculo. Bacharel em Marketing, expert em estratégia militar, licenciando em filosofia. Empreendedor inquieto pela própria natureza. Seu fluxo é a realização!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.