Relíquias do Mestre

“Mas, na realidade, tais relíquias são falsas e o bom-senso mostra-nos facilmente o ridículo e a impossibilidade de sua existência. Tapetes de bom tecido, compacto e duradouro, não resistem a um século e se transformam em frangalhos nos museus. No entanto, o “santo sudário” resiste há quase dois mil anos, embora tenha sido feito de linho frágil.”

RAMATÍS. O Sublime Peregrino. Obra psicografada por Hercílio Maes. São Paulo: Ed. Conhecimento, 2020, pág. 254-255.

 

Publicado por

Juliano Pozati

Strengths coach, Escritor, Espiritualista e empreendedor. Membro do Conselho do The Institute for Exoconsciousness (EUA). Meio hippie, meio bruxo, meio doido. Pai do Lorenzo e fundador do Círculo. Bacharel em Marketing, expert em estratégia militar, licenciando em filosofia. Empreendedor inquieto pela própria natureza. Seu fluxo é a realização!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.