Fundamentalismo

“Infelizmente, quando nos deparamos com a ambiguidade do mundo, em vez de fazer perguntas, tendemos a nos recolher para dentro do nosso habitat familiar de objetificação. Presumimos que já como as coisas são e que podemos ignorar incerteza e ambiguidade completamente. Mas observe o quanto essa falsa sensação de segurança apenas nos impede de ter uma compreensão mais ampla e inteligente das coisas.”

MATTIS-NAMGYEL, Elizabeth. O Poder de uma Pergunta Aberta: o caminho do Buda para a liberdade. Teresópolis, RJ: Lúcida Letra,  2018. p. 105.

Publicado por

Juliano Pozati

Strengths coach, Escritor, Espiritualista e empreendedor. Membro do Conselho do The Institute for Exoconsciousness (EUA). Meio hippie, meio bruxo, meio doido. Pai do Lorenzo e fundador do Círculo. Bacharel em Marketing, expert em estratégia militar, licenciando em filosofia. Empreendedor inquieto pela própria natureza. Seu fluxo é a realização!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.