Prejuízos ao Sacerdócio

“Jesus era na época considerado um perigoso socialista, que tentava igualar os homens, nivelar as fortunas e reduzir os poderes do mundo, que ousava pregar o amor para com o inimigo e o perdão para o algoz.

(…)

A verdade é que quando o corpo de Jesus estremeceu na cruz, algumas cortinas de seda se fecharam apressadamente para o drama do Calvário, o qual, na verdade, fora planejado sobre o luxo dos tapetes de veludo e ante o tilintar de taças de cristal. Jesus, homem perigoso e portador de ideias socialistas avançadas, havia sido finalmente eliminado do cenário terreno, cuja presença destemida e honesta era incomodativa e prejudicial aos interesses dos fartos, avarentos e exploradores da miséria humana.”

RAMATÍS. O Sublime Peregrino. Obra psicografada por Hercílio Maes. São Paulo: Ed. Conhecimento, 2020, pág. 338-339.

 

Publicado por

Juliano Pozati

Strengths coach, Escritor, Espiritualista e empreendedor. Membro do Conselho do The Institute for Exoconsciousness (EUA). Meio hippie, meio bruxo, meio doido. Pai do Lorenzo e fundador do Círculo. Bacharel em Marketing, expert em estratégia militar, licenciando em filosofia. Empreendedor inquieto pela própria natureza. Seu fluxo é a realização!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.