A Arma da Transmutação

“Em primeiro lugar vem o exemplo do sábio, que a mesma autoridade estabelece do modo seguinte: “ele emprega a Lei contra as Leis, o superior contra o inferior e pela Arte da Alquimia transmuta o que é desagradável no que é agradável e deste modo triunfa.” Seguindo a autoridade, combatamos também a falsa sabedoria (que é uma loucura), que ignora a verdade: “O Domínio não consiste em visões e sonhos anormais, em vida e imaginações fantásticas, mas sim no emprego das forças superiores contra as inferiores, escapando assim das penas dos planos inferiores pela vibração nos superiores.” Lembrai-vos, sempre, estudantes, que “a Transmutação não é uma presunçosa denegação, mas sim a arma ofensiva do Mestre”. As citações acima são do Caibalion e são dignas de serem conservadas na memória do estudante.”

Três Iniciados. O Caibalion: Estudo da Filosofia Hermética do Antigo Egito e da Grécia. Editora Pensamento: São Paulo, 2018, pág. 56.

Publicado por

Juliano Pozati

Strengths coach, Escritor, Espiritualista e empreendedor. Membro do Conselho do The Institute for Exoconsciousness (EUA). Meio hippie, meio bruxo, meio doido. Pai do Lorenzo e fundador do Círculo. Bacharel em Marketing, expert em estratégia militar, licenciando em filosofia. Empreendedor inquieto pela própria natureza. Seu fluxo é a realização!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.