Os Cento e Vinte Escolhidos

“(…) Mas Ele compreendeu também, não há que duvidar, que a maior eficiência, os maiores resultados e a realização mais perfeita das etapas destinadas a criar o Reino dos Céus na terra seriam cumpridos após Sua crucificação, dai haver dividido pelos cento e vinte escolhidos responsabilidades na execução do trabalho missionário.

Essa divisão se fez em doze grupos, pelos quais distribuiu todo o Seu programa de atividades terrenas, constando cada grupo de dez discípulos- homens e mulheres. Isto Lhe daria o número redondo de cento e vinte trabalhadores. A frente de cada grupo Ele colocou um dos Apóstolos, como presidente, digamos, ou como principal consultor. Os doze Apóstolos constituíam, por assim dizer, Sua junta consultiva imediata, ou grupo de íntimos conselheiros.

Alguns destes trabalhadores foram mandados para países estrangeiros no começo da execução do grande plano, pois o trabalho que eles tinham de fazer não exigia o mesmo período de preparativos e estudos na escola secreta necessário para os outros.”

LEWIS, H. Spencer. As Doutrinas Secretas de Jesus. Rio de Janeiro: Biblioteca Rosacruz, V. II, Ed. Renes, 1983, p. 92-93.

Publicado por

Juliano Pozati

Strengths coach, Escritor, Espiritualista e empreendedor. Membro do Conselho do The Institute for Exoconsciousness (EUA). Meio hippie, meio bruxo, meio doido. Pai do Lorenzo e fundador do Círculo. Bacharel em Marketing, expert em estratégia militar, licenciando em filosofia. Empreendedor inquieto pela própria natureza. Seu fluxo é a realização!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.