Velocidades que Espantam aos Humanos

“(…)Reconhecemos que certas condições, repetimos, devem ser realizadas pelo homem para essas experiências e que, só uma muito pequena minoria se predisporia a tal. Não importa! Felizmente nesse campo não poderá haver realizações prematuras, de tal forma a se tornarem perigosas. Há um cuidado especial em torno disso para o bem de vocês, humanos.”

Cumpre porém, aqui, ressaltar que o que acabamos de dizer sobre as nossas naves, sua constituição material e as energias utilizadas, tudo de âmbito hiperespacial, não se aplica necessariamente a qualquer nave extraterráquea. Devemos dizer que, no âmbito solar , próprio sistema de vocês realizam-se  técnicas próprias  de uma ciência maior do que a de vocês, mas ainda adstrita ao espaço. Conseguem se naves extraordinariamente aperfeiçoadas, de muito leve material, de inaudita resistência, utilizando-se o eletromagnetismo supercontrolado, já bem conhecido seu relacionamento com a gravitação, entre cujos campos já conseguiram mútuas transformações e fluxos energéticos próprios à propulsão. Além disso, outros conhecimentos relativos à evidência e controle da pressão cósmica, chegando-se até ao vácuo cósmico, segundo critérios ainda espaciais, facilitaram e permitiram deslocamentos com velocidades que espantam aos humanos.”

UCHÔA, Alfredo Moacyr. Mergulho no Hiperespaço. Dimensões Esotéricas na Pesquisa dos Discos Voadores. Brasília, 1976, pág. 110.

Publicado por

Juliano Pozati

Strengths coach, Escritor, Espiritualista e empreendedor. Membro do Conselho do The Institute for Exoconsciousness (EUA). Meio hippie, meio bruxo, meio doido. Pai do Lorenzo e fundador do Círculo. Bacharel em Marketing, expert em estratégia militar, licenciando em filosofia. Empreendedor inquieto pela própria natureza. Seu fluxo é a realização!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.