Deus Justo

“Quando é que um Deus justo cancelaria repentinamente o direito inato de um indivíduo (de continuar se esforçando pela consumação dos potenciais de seu verdadeiro Eu) para fazê-lo sofrer num inferno eterno? É inadmissível que Jesus, sendo a encarnação do amor, da misericórdia e do perdão, pudesse pregar e apoiar tal doutrina. O contexto de toda a sua vida e ensinamentos impossibilita uma inter pretação literal das referências ao inferno como um lugar de ardente tormento eterno.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol II. Editora Self, 2017, pág. 248.

Capítulo 41: Conselhos de Jesus aos que pregan a palavra de Deus (Parte II).

Publicado por

Juliano Pozati

Strengths coach, Escritor, Espiritualista e empreendedor. Membro do Conselho do The Institute for Exoconsciousness (EUA). Meio hippie, meio bruxo, meio doido. Pai do Lorenzo e fundador do Círculo. Bacharel em Marketing, expert em estratégia militar, licenciando em filosofia. Empreendedor inquieto pela própria natureza. Seu fluxo é a realização!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.