O Desaparecimento

“(…) a presença do Sudário em Constantinopla em 1203-1204. (…) Foi então que, segundo Robert de Clary, desapareceu o Sudário “no qual Nosso Senhor Jesus Cristo foi envolvido, que toda sexta-feira era exposto bem esticado, de modo que se podia ver a imagem de Nosso Senhor. Ninguém, nem grego nem francês, soube dele quando a cidade foi conquistada”.

ZACCONE, Gian Maria. Nas Pegadas do Sudário: História antiga e recente. São Paulo: Edições Loyola, 1999, pág. 44-45.

Publicado por

Juliano Pozati

Strengths coach, Escritor, Espiritualista e empreendedor. Membro do Conselho do The Institute for Exoconsciousness (EUA). Meio hippie, meio bruxo, meio doido. Pai do Lorenzo e fundador do Círculo. Bacharel em Marketing, expert em estratégia militar, licenciando em filosofia. Empreendedor inquieto pela própria natureza. Seu fluxo é a realização!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.