A Vontade é Patrimônio da Alma

Assim como o filho predileto em uma família terrena rogaria confiantemente a seu pai, Jesus suplica amorosamente ao Pai transcendental que Se oculta por trás das muralhas etéreas do céu: “Pai Celestial, uma vez que para Ti tudo é possível, por que não afastas de mim este cálice da crucificação?” Mas enquanto orava para ser poupado da tirânica atuação da Ilusão Cósmica, Jesus reconheceu as incitações da debilidade interior e de imediato acrescentou: “Entretanto, que não se faça minha vontade humana, temerosa de enfrentar esta provação; que se cumpra em minha vida Tua divina vontade guiada pela sabedoria.

(…) “Não se faça a minha vontade, mas a Tua“. Ele jamais aconselhou que os filhos de Deus renunciassem à independência de sua vontade (que é patrimônio da alma) (…) obras o pegue e use novamente. O exemplo de Jesus demonstrou, em vez disso, que o homem deve fazer uso de sua liberdade concedida por Deus para exercer conscientemente sua vontade ao procurar cumprir os desejos do Senhor na Terra. (…) “Seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu“. Sintonizar a vontade humana (…) com a vontade de Deus significa habitar na liberdade e alegria de um paraíso interior enquanto se está ainda na Terra.”

YOGANANDA, Paramahansa. A Segunda Vinda de Cristo, A Ressurreição do Cristo Interior. Comentário Revelador dos Ensinamentos Originais de Jesus. Vol. III. Editora Self, 2017, pág. 363-364.

Capítulo 73: A agonia de Jesus no jardim de Getsêmani e sua prisão.

Publicado por

Juliano Pozati

Strengths coach, Escritor, Espiritualista e empreendedor. Membro do Conselho do The Institute for Exoconsciousness (EUA). Meio hippie, meio bruxo, meio doido. Pai do Lorenzo e fundador do Círculo. Bacharel em Marketing, expert em estratégia militar, licenciando em filosofia. Empreendedor inquieto pela própria natureza. Seu fluxo é a realização!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.